Não perca tempo: Conheça os documentos essenciais para enviar mensalmente à contabilidade

Para garantir uma gestão financeira eficiente e adequada, é fundamental manter a contabilidade da sua empresa sempre atualizada e organizada. E isso só é possível por meio do envio mensal de alguns documentos essenciais à contabilidade.

Esses documentos são fundamentais para que os profissionais responsáveis possam realizar a análise das movimentações financeiras da empresa, fazer a conciliação bancária, emitir notas fiscais, calcular impostos e outras obrigações legais, o que contribuem com a saúde financeira da empresa.

Isso porque é por meio desses documentos que a contabilidade consegue realizar a escrituração fiscal e contábil, além de gerar os demonstrativos financeiros essenciais para o acompanhamento da empresa, auxiliando na tomada de decisões estratégicas e na identificação de possíveis problemas que precisam ser solucionados.

Lista de documentos

A seguir, listamos os principais documentos que devem ser entregues mensalmente à contabilidade:

1.   Notas fiscais de entrada e saída:

São documentos que comprovam a compra de mercadorias e serviços e também a venda de produtos ou serviços prestados pela empresa. Essas notas fiscais são utilizadas para cálculo dos impostos e também como base para a contabilização de despesas e receitas.

2.  Comprovantes de pagamento:

São documentos que comprovam o pagamento de despesas da empresa, como aluguel, energia elétrica, água, telefone, internet, entre outros. Esses comprovantes são importantes para o registro das despesas e para o cálculo dos impostos.

3.  Extrato bancário:

O extrato bancário é o documento que registra todas as movimentações financeiras da empresa, como depósitos, saques, transferências, pagamentos de contas, entre outros. Esse documento é importante para a conciliação bancária, que consiste na comparação das informações do extrato bancário com as informações do livro caixa da empresa.

4.  Livro caixa:

É o registro das movimentações financeiras da empresa em dinheiro, como recebimentos e pagamentos. Esse documento é importante para o controle do caixa da empresa e para a contabilização das receitas e despesas.

5.  Folha de pagamento:

É o documento que registra as remunerações dos funcionários da empresa, incluindo salários, horas extras, comissões, entre outros. Essa informação é importante para o cálculo dos impostos e também para o controle das despesas com pessoal.

6.  Declarações fiscais:

São documentos obrigatórios que devem ser entregues à Receita Federal, como a Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (DIPJ) e a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). Essas declarações devem ser entregues dentro do prazo estipulado pela Receita Federal.

Além desses documentos, existem outros que podem ser importantes conforme a atividade da empresa, como, por exemplo, os contratos de prestação de serviços, recibos de aluguel, entre outros.

Notas fiscais, recibos e comprovantes de pagamento

A entrega desses documentos é uma prática extremamente importante para garantir a transparência e legalidade das transações comerciais. Eles são uma forma de comprovar a compra e venda de produtos ou serviços, além de atestar que os impostos foram devidamente pagos.

A nota fiscal, por exemplo, contém informações sobre a operação comercial, como o valor dos produtos ou serviços, a quantidade, a data da transação, o nome do comprador e do vendedor, entre outras informações relevantes. Ela é uma obrigação legal, pois sua emissão é exigida por lei em todas as transações comerciais.

Já os recibos e comprovantes de pagamento são documentos que comprovam o pagamento de um produto ou serviço, indicando o valor pago, a data e a forma de pagamento, servindo para o comprador comprovar que efetuou o pagamento e para que o vendedor possa registrar a receita e controlar suas finanças.

Para além da importância da comprovação de compra e venda, eles também são fundamentais para a prestação de contas ao governo e para a geração de créditos tributários, como o ICMS, PIS e COFINS. Além disso, a falta de comprovação fiscal pode gerar multas e sanções fiscais, o que pode prejudicar tanto o vendedor quanto o comprador.

Falta de documentos, consequências para a gestão financeira

A ausência de documentos pode prejudicar a gestão financeira de uma empresa de várias maneiras. Algumas delas são:

  • Impossibilidade de identificar o fluxo de caixa da empresa;
  • Incapacidade de avaliar o desempenho financeiro da empresa;
  • Falta de comprovação de despesas e receitas, o que pode levar a problemas 

A falta de documentos pode ser ainda mais prejudicial em situações de fiscalização ou auditoria, pois a empresa pode ser multada ou ter problemas com o fisco fiscais.

Atualização constante dos registros contábeis

É fundamental para garantir a precisão das informações financeiras da empresa, a atualização constante dos registros contábeis. Isso porque, quanto mais atualizados estiverem os registros, mais facilmente será possível identificar desvios ou erros que possam estar prejudicando a saúde financeira da empresa.

Além disso, ela permite que a empresa possa planejar suas ações com base em informações precisas e atualizadas, o que é fundamental para o sucesso dos negócios.

Entrega de documentos à contabilidade e a transparência financeira

Quando os documentos são entregues à contabilidade com regularidade, a empresa demonstra que está comprometida em manter a transparência em suas operações financeiras, permitindo que contadores possam registrar com precisão todas as transações financeiras e reflita de forma fiel à realidade da empresa.

A transparência financeira é crucial para a confiança dos stakeholders, incluindo clientes, fornecedores e investidores.

Entrega de documentos no futuro

O futuro da entrega de documentos à contabilidade parece estar cada vez mais digital e automatizado. Com o avanço da tecnologia, as empresas contábeis estão buscando soluções para facilitar e agilizar o processo de entrega de documentos por parte dos seus clientes.

Uma das principais tendências é o uso de plataformas digitais, que permitem o envio de documentos de forma eletrônica e a realização de todo o processo de forma remota. Por meio das tecnologias como inteligência artificial e machine learning é possível a automatização de tarefas repetitivas e rotineiras, e o uso do blockchain, garante segurança e a autenticidade dos documentos.

A digitalização dos documentos, por exemplo, permitirá que a contabilidade possa ser realizada remotamente, o que pode ser especialmente útil em momentos de crise, como a pandemia de Covid-19.

4 tendências para o e-commerce em 2023 e como aproveitá-las

Como grande parte dos gestores de e-commerces e lojas virtuais já sabe, a pandemia do Covid-19 impulsionou o comércio online. Para além disso, os dados dos últimos dois anos mostram que o mercado se consolidou e a tendência é que o comércio online se torna ainda mais forte nos próximos anos.

9 em cada 10 brasileiros já tem o hábito de fazer compras online. 57% fazem compras ou pagamentos online com frequência, mas esse número cresce para 86,3% quando somamos as pessoas que alegam fazer compras online às vezes.

Quer saber onde investir e como agradar o público-alvo em 2023? Esteja sempre atento às tendências, pois é por meio delas que entendemos as mudanças de comportamento do consumidor e como podemos aproveitá-las. A Brasct é um escritório de contabilidade especializado em e-commerces que está sempre se atualizando com o intuito de propor melhorias para os clientes e para a própria empresa.

Por isso, preparamos esse artigo. Leia até o final para saber 4 das principais tendências para 2023 e como aproveitá-las, ficando à frente no mercado.

Cada vez mais os consumidores buscam por experiências que lhes tragam facilidade e agilidade. A operação omnichannel é uma estratégia que busca trazer essa comodidade e facilidade ao cliente por meio da integração dos canais de comunicação da empresa.

Estratégia omnichannel

O conceito omnichannel começou a ser utilizado nos EUA em 2011 e significa “todos os canais”. “Omni” tem a origem do latim, com o sentido de “todo”, “tudo” ou “total”, e channel é de origem inglesa e significa “canal”.

No que diz respeito à estratégia omnichannel, quando nos referimos aos canais de comunicação de uma empresa estamos falando da integração entre os canais de venda, de atendimento ao cliente ou de marketing.

As empresas que adotam a estratégia omnichannel conseguem oferecer ao cliente uma experiência contínua, independente do canal que ele está utilizando naquele momento. Na prática, isso significa que o cliente consegue comprar um item pela internet e retirar na loja física ou num centro de distribuição, ou que o cliente pode, por exemplo, começar um atendimento pelo chat e continuar pelo telefone.

Para oferecer esse diferencial para o consumidor, é preciso que os diferentes setores da empresa tenham uma boa comunicação e que os dados e as informações dos clientes estejam bem armazenados e organizados, por meio de um bom ERP  (Sistema de Gestão Integrado), por exemplo. 

Online shopping abstract concept illustration

Mobile commerce

Um dos comportamentos que tem mudado entre os consumidores é a preferência pelos smartphones. Apesar de muitos clientes ainda preferirem concretizar a compra no desktop, durante a etapa de pesquisa pelo produto ou serviço grande parte dos acessos é feita nos smartphones.

Em outubro de 2022 mais de 75% dos acessos a e-commerces foram feitos a partir de um smartphone. A tendência é que esses números cresçam com a expansão da internet móvel e rápida no Brasil.

Por isso, é muito importante que os gestores de e-commerces e de lojas virtuais invistam em websites de fácil navegação para celulares. Para aproveitar essa tendência é preciso que as páginas carreguem rapidamente, os menus estejam adaptados para celulares, bem como as imagens, os canais de interação e outras ferramentas.

Uma forma ainda mais efetiva de aproveitar essa tendência é ter um aplicativo próprio.

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial tem auxiliado diversos setores e, da mesma forma, também traz novidades para os e-commerces e lojas virtuais. A Inteligência Artificial permite que as máquinas sejam capazes de aprender comportamentos, reconhecer padrões, analisar possibilidades e apresentar soluções.

A Inteligência Artificial tem ganhado destaque nos e-commerces pois permite que o site seja personalizado de acordo com o perfil do cliente, incluindo preferências, necessidades, gostos, etc.

O Carrefour é uma das empresas que começou a usar Inteligência Artificial em 2020 e já observou um expressivo crescimento nas vendas. 

Um dos objetivos do uso de Inteligência Artificial em e-commerces é tornar o site mais atrativo e intuitivo para o cliente, de acordo com o seu perfil. Além é possível simplificar o processo de compra pensando no comportamento de cada usuário. 

Outro fator a ter em conta são os resultados de pesquisas. Como a análise dos dados é feita pelo próprio computador é possível poupar tempo e ter resultados muito mais rápidos. 

Existem várias formas de aplicar a Inteligência Artificial nos e-commerces, entre elas estão: busca inteligente, automação de armazéns, recomendações personalizadas, precificação dinâmica e chatbots (atendimentos por robôs).

Personalização

Dando continuidade ao que foi falado sobre Inteligência Artificial e o seu potencial para tonar o site personalizado, a personalização é um fator importante para a experiência do consumidor. Embora 80% dos consumidores seja cauteloso quanto ao compartilhamento de dados pessoais, eles ainda esperam experiências personalizadas.

A personalização é uma forma de oferecer ao potencial cliente produtos nos quais ele esteja realmente interessado. Essa é uma estratégia que aposta na exclusividade e na individualidade.

Boas parcerias para o seu e-commerce

Uma das formas de aproveitas as tendências do mercado para e-commerces e lojas virtuais em 2023 é fazer parcerias que permitam que a sua empresa possa crescer com qualidade e consistência.

No que diz respeito às questões financeiras e de contabilidade é importante contar com um escritório de contabilidade que possua conhecimento específico para e-commerces, como a Brasct. Além de oferecer soluções contábeis, a Brasct também faz a Gestão Fiscal e de Departamento Pessoal, com um time de especialistas em diversas áreas. 

Prestamos consultoria especializada em Planejamento Tributário, Regimes Especiais Tributários especialmente para e-commerce, Contencioso Tributário, Consultoria Tributária, Recuperação de Créditos Tributários, Direito Aduaneiro.

A Brasct é um escritório de contabilidade que auxilia empresas em todo o Brasil e que apresenta soluções para descomplicar o processo de vendas online, trazendo maior segurança e comodidade para você e para seu e-commerce.

MEI e empreendedorismo digital: como formalizar seu negócio

MEI é a sigla para Microempreendedor Individual, um regime criado pelo governo em 2009 para regularizar profissionais autônomos e pequenos empreendedores. 

Basicamente, MEI é um tipo de empresa, ou uma pessoa jurídica, que atende bem às necessidades de profissionais, como eletricistas, cabeleireiros, costureiras, marceneiros. Nos últimos anos, com o surgimento dos empreendedores digitais, o MEI também passou a ser muito utilizado para negócios na Internet.

Como não possuíam carteira assinada e não tinham empresa, antes da criação do MEI, a maioria dos profissionais autônomos trabalhava informalmente. Por essa razão, os profissionais não tinham benefícios ou seguros do governo, não contribuíam para INSS e não tinham direito à aposentadoria.

Em geral, os trabalhadores mantinham-se na informalidade para evitar os custos e a burocracia de se abrir uma empresa.

Hoje em dia, com a Internet, uma série de outras profissões entraram para a lista de possíveis ocupações de um MEI. Surgiram diversas possibilidades de atuação no meio digital.

Quer formalizar-se como MEI e não sabe o que fazer?

Algumas pessoas se mantêm trabalhando na Internet sem formalizar sua situação, porém existem vários riscos. Se você chegou até aqui provavelmente está se preparando para dar o próximo passo, seja porque já possui seu negócio digital ou porque deseja abrir. 

Primeiramente, vamos mostrar por que você precisa formalizar seu trabalho online com MEI, incluindo as vantagens de ser MEI para quem possui um negócio digital. 

Em seguida, vamos explicar o passo a passo para formalizar o seu negócio digital e abrir MEI como trabalhador autônomo, freelancer ou empreendedor na Internet. Vamos falar também sobre os pré-requisitos e condições para se enquadrar como MEI.

Por que devo formalizar meu trabalho online como MEI?

Primeiro motivo: pagar menos imposto. 

Trabalhando na Internet como MEI você paga menos imposto do que como pessoa física. Algumas pessoas se surpreendem com essa informação, mas, com o intuito de incentivar essa regularização, o governo fez do MEI um regime simples e interessante financeiramente.

As alíquotas de IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física) podem chegar à 27,5%, enquanto que os regimes de tributação para pequenos negócios são muito mais amigáveis. Além disso, para o MEI existe uma série de isenções e benefícios nos primeiros anos de negócio, fazendo com que o crescimento se torne muito mais viável.

Segundo motivo: procedimento de abertura fácil e rápido

Todo o processo de abertura do MEI para negócios digitais pode ser feito pela Internet, incluindo a obtenção do alvará e do CNPJ.

Tenho um negócio digital, posso abrir MEI?

Se você trabalha pela Internet e quer formalizar seu negócio ou sua empresa, precisa saber que existem algumas condições para se enquadrar como MEI. 

Caso o seu negócio não se enquadre como MEI pode ser necessário constituir empresa de outra forma, mas ainda assim são muitas as vantagens de se regularizar.

Condições para abrir MEI trabalhando na Internet:

  • limite de faturamento anual de R$ 81 mil;
  • um único dono, ou seja, não ter sócios no negócio;
  • o profissional não pode ter outra empresa aberta em seu nome;
  • o profissional não pode participar de outro negócio como sócio ou como administrador;
  • limite de contratação de um único funcionário.
  • não pode exercer atividade intelectual e deve ter CNAEs correspondentes aos que são permitidos para MEI (consulta a lista de 2022 – https://www.gov.br/empresas-e-negocios/pt-br/empreendedor/quero-ser-mei/atividades-permitidas).

Passo a passo para formalizar o seu negócio digital como MEI

1. Entenda sobre o seu negócio digital.

O primeiro passo é entender sobre o seu negócio online. Dessa forma, será possível saber antecipadamente se o que você faz se enquadra ou não como MEI. Portanto, faça estimativas do quanto irá ganhar, quais serão as atividades da sua empresa, custos, como e para quem irá vender, etc.

2. Confira se o faturamento e a atividade estão compatíveis

Portanto, como mencionamos anteriormente, para formalizar um negócio online através do MEI o limite atual de faturamento é de 81 mil reais por ano. Além disso, as atividades realizadas precisam estar entre as permitidas.

Vale lembrar que a atividade precisa ser legítima, ou seja, a sua empresa ou negócio online precisa realizar o que escolheu como sua atividade no cadastro.

Porém, se o seu trabalho na Internet não está entre aqueles listados para MEI não precisa se preocupar. Existem outras formas de regularizar a sua empresa com cargas tributárias mais baixas. A Brasct é especialista em contabilidade para negócios digitais e pode ajudá-lo com isto!

3. Faça uma consulta prévia à Prefeitura

É necessário verificar junto à Prefeitura se o seu tipo de negócio é autorizado na região que você escolheu. A maioria dos negócios realizados online se enquadra em atividades simples, que podem ser exercidas em locais residenciais, portanto, geralmente é possível colocar o próprio endereço residencial como localização da empresa. Porém, é importante fazer essa consulta antes e garantir que esteja tudo certo.

4. Formalize o seu negócio online como MEI no Portal do Empreendedor

O site oficial do governo para abertura de MEI é o Portal do Empreendedor (https://www.gov.br/empresas-e-negocios/pt-br/empreendedor). Nesse site você pode solicitar o seu cadastro seguindo os passos em “Quero ser MEI”.

É importante ressaltar que no Portal do Empreendedor você vai efetivamente realizar o seu cadastro como MEI. Faça o processo com calma e leia todas as informações. Quando você abre MEI para formalizar o seu negócio também está aceitando responsabilidades e deveres como empreendedor.

Depois de preencher todas as etapas de formalização do seu negócio online, você receberá o Certificado de Condição de Microempreendedor Individual (CCMEI). Cada tipo de negócio tem suas exigências específicas, portanto pesquise sobre as suas responsabilidades. 

Pagamento de Impostos como MEI

O recolhimento de tributos para o microempreendedor é feito de forma muito simplificada, através do pagamento mensal do DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Além disso, é necessário entregar todos os anos a Declaração Anual Simplificada (DASN SIMEI).

Em suma, o processo é rápido e simplificado, mas é importante estar atento aos prazos e pagamentos. 

A Brasct é um escritório de contabilidade com mais de 40 anos de experiência. Para além disso, estamos sempre atentos às mudanças. Quer saber mais sobre a tributação para negócios digitais? Acompanhe-nos nas redes sociais.

Como a Brasct faz a abertura de empresa digital

Os avanços da tecnologia trouxeram agilidade para diversas áreas da nossa vida, seja para o nosso ambiente familiar e pessoal ou para a sociedade. A partir do momento que os órgãos públicos aderiram e incorporaram essas novidades, processos que antes levavam meses, hoje podem ser feitos em poucos dias, como a abertura de empresa digital.

Hoje em dia a maior parte dos procedimentos necessários para abrir uma empresa podem ser feitos digitalmente. Existem soluções muito interessantes criadas com a intenção de desburocratizar e agilizar o processo, como a Assinatura Digital.

A Brasct está sempre por dentro dessas novidades, pois queremos trazer essa agilidade para o dia a dia dos nossos clientes. No caso da Assinatura Digital o processo de abertura de empresa pode cair para dias, ou até mesmo horas. 

Quando o cliente opta por fazer a abertura conosco, a equipe da Brasct faz todo o processo, passo a passo, de forma muito organizada e de acordo com a legislação. Você, como cliente, só precisará ler os documentos, assinar e pagar as taxas que são devidas a cada um dos órgãos.

Preparamos esse artigo para você conhecer alguns dos passos necessários para abrir uma empresa e como nosso escritório de contabilidade pode auxiliá-lo.

Consultoria personalizada para abrir seu negócio

A Brasct é um escritório de contabilidade que trabalha, todos os meses, na abertura de empresas de todo o Brasil. Em nossa equipe temos profissionais especializados que ficam responsáveis unicamente por esse processo.

De acordo com a Ariana Marta, gestora da Brasct, é muito importante ter o apoio de um profissional. “A abertura de e-commerces, por exemplo, gera muitas dúvidas para os clientes. Posso abrir no endereço de casa? Tenho estoque terceirizado, como faço para ficar regular perante a Prefeitura?” Essas são algumas das questões que os clientes trazem e a Brast auxilia em cada uma das etapas para garantir que tudo seja feito de acordo com a lei e da melhor forma possível

Em primeiro lugar, nosso papel é entender muito bem qual é seu negócio, pois cada empresa possui particularidades e não existe uma “receita de bolo” que possa ser aplicada a todos. 

Portanto, no momento da consultoria vamos conhecer a sua empresa para auxiliar na escolha do Regime Tributário, na escolha do CNAE, na definição do porte da empresa, na determinação da Natureza Jurídica, entre outros.

A partir desse ponto a própria Brasct fará tudo que é preciso, deixando para você só o que for realmente necessário, como a assinatura de documentos. Mas não se preocupe com burocracias! Pois não vai precisar ir a nenhum órgão público.

Contrato Social e registro na Junta Comercial

Antes de abrir o CNPJ, será necessário elaborar o Contrato Social, que é o instrumento de constituição da empresa. Nesse documento irá constar o nome da empresa, o Capital Social e o percentual de participação de cada sócio.

Com o Contrato Social e os documentos dos sócios em mãos, é preciso registrar a empresa na Junta Comercial. É a partir daí que o negócio recebe um CNPJ, e a empresa finalmente passa a existir.

Inscrição Municipal

Para abrir uma empresa é necessário fazer o cadastro na Prefeitura. Como falamos anteriormente, atualmente a grande maioria dos municípios do Brasil permitem que esse processo seja feito totalmente online. 

Entre os documentos solicitados estarão o Contrato Social, cartão CNPJ, além de RG, CPF e comprovante de endereço dos sócios. 

É preciso ter atenção, pois algumas atividades exigem o alvará da vigilância sanitária, o laudo de vistoria dos bombeiros e outras autorizações. A Brasct se responsabiliza por isso e ajuda-o a providenciar todos os documentos necessários para a sua empresa.

Alvará de Funcionamento

O Alvará de Funcionamento deverá ser solicitado junto à Prefeitura ou outro órgão governamental. No caso de São Paulo, esse serviço também pode ser feito online.

No caso de imóveis alugados pode ser que já exista um alvará; porém é preciso ter em conta as mudanças que serão feitas no local para fazer a renovação do documento. 

Além disso, para algumas empresas serão necessárias outras licenças, como Licença Ambiental, Licença Sanitária, Produtos Químicos Controlados, entre outras. 

Inscrição Estadual

No caso das empresas do setor do comércio será necessário realizar a Inscrição Estadual. Esse procedimento é feito junto à Secretaria da Fazenda do Estado.

Assinatura Digital: abertura eletrônica de empresa

A Assinatura Digital é um dos recursos que permite que a maior parte desses procedimentos seja feita online. Este recurso passou a ser reconhecido a partir da publicação da Medida Provisória 2.200/2001

No processo de abertura de empresa é a Assinatura Digital que garante “autenticidade, integridade e validade jurídica de documentos em forma eletrônica, bem como da realização de transações eletrônicas seguras”.

Existem tipos de assinaturas digitais diferentes com níveis de verificação diferentes, pois dependendo do documento a ser assinado poderá ser necessário mecanismos de segurança adicionais.

A Assinatura Digital Simples é a mais utilizada e, apesar de ser o modelo mais simples, já conta com altos padrões de segurança, como carimbo do tempo, criptografia, IP da máquina, senha de acesso, e-mail. A Assinatura Digital Simples possui validade jurídica.

A Assinatura Digital Avançada possui o mesmo que a Assinatura Digital Simples, porém com mais níveis de verificação, como dados biométricos ou código de segurança exclusivo do usuário (PIN).

Assinatura Digital Qualificada e Certificado Digital

No caso da Assinatura Digital Qualificada utiliza-se o Certificado Digital, que seria algo similar ao reconhecimento de firma em cartório. Nesse caso a identidade do usuário é garantida por meio de chaves criptográficas muito seguras.

Quando falamos de órgãos públicos, como a Receita Federal, INSS e juntas comerciais, será necessário essa modalidade.

Entretanto, você não precisa se preocupar, pois no processo de abertura de empresa, a Brasct também cuida do Certificado Digital!

Quer abrir empresa rapidamente e de forma segura? A Brasct está aqui para ajudá-lo em todo o processo. Vamos desburocratizar as etapas e garantir que tudo seja feito com cuidado, para a sua empresa funcionar corretamente e dentro da lei.


Como a Brasct faz a abertura de empresa digital


Como a Brasct faz a abertura de empresa digital





Principais processos financeiros de uma empresa


Principais processos financeiros de uma empresa





5 tendências de negócios online para 2022


5 tendências de negócios online para 2022



Principais processos financeiros de uma empresa

Estudos do SEBRAE indicam que não acompanhar corretamente a evolução das receitas e despesas está entre as causas de fechamento da maior parte das empresas no Brasil. Você sabe quais são os processos financeiros que o seu negócio deve manter? Caso não saiba ou não tenha certeza, não se preocupe: a seguir, vamos falar dos 10 principais processos financeiros de uma empresa.

Money Business GIF by JustStartInvesting

1. Contas a pagar e a receber

Esse é o processo que operacionaliza os pagamentos e recebimentos da empresa, sendo controlado pela tesouraria. As contas a receber vêm das vendas realizadas. Já as contas a pagar se relacionam a dívidas com fornecedores, impostos, custos de manutenção, salários dos funcionários, serviços terceirizados, entre outros.

Money Paying GIF by JustStartInvesting

2. Fluxo de caixa

É o controle sobre os processos de entrada e saída de dinheiro. A empresa não pode simplesmente pagar e receber as contas sem colocar tudo em um caderno, planilha ou software. É necessário pôr tudo “na ponta do lápis” para ter controle sobre as finanças. 

O fluxo de caixa é o que torna possível a tomada de decisões. Ao avaliar projeções, pagamentos e recebimentos, torna-se possível apreender as necessidade de captação e aplicação de recursos. Esse processo é essencial para gerenciar o saldo disponível e garantir o capital de giro.

Money Moneybag GIF by GMT

3. Captação de recursos

De modo geral, trata-se da captação de aportes para o caixa empresarial por meio de linhas de crédito. Mas além da possibilidade de recorrer a bancos e outras organizações financeiras, também é possível injetar capital a partir de sócios ou investidores. É um processo necessário em momentos de investimento ou de crise.

Money Save GIF by JustStartInvesting

4. Aplicação de recursos

Trata-se da realização de aplicações temporárias por meio das sobras de caixa. Geralmente são feitos investimentos em títulos de renda fixa, para que o dinheiro não fique parado e renda juros até o momento do resgate. São exemplos de investimento desse tipo as notas do tesouro nacional e as letras de câmbio.

Business Calculate GIF by JustStartInvesting

5. Faturamento

É a soma de todo o valor recebido pela empresa em determinado período. Como está relacionado ao controle das vendas, também passa pela emissão de Nota Fiscal, boletos e documentos de crédito. Isso porque são esses documentos fiscais que fazem o registro do faturamento. É importante para a definição de questões tributárias.

Time Work GIF by JustStartInvesting

6. Gestão de crédito e cobrança

Esse é um processo que tem duas funções: avaliar o acesso dos clientes ao crédito e fazer as cobranças dos valores não recebidos. Esses dois lados estão ligados porque conceder crédito sempre inclui o risco de inadimplência. Então, é preciso pensar em estratégias para diminuir essa ameaça e tornar as operações rentáveis o máximo possível.

High Five Processing GIF by blooom

7. Controle de estoque

Registra e fiscaliza a entrada e saída de produtos da empresa. A nível das mercadorias, é controlado pela logística. Mas do ponto de vista do controle dos valores que entram e saem, é atribuição da área financeira/contábil. Há dois tipos de controle: o permanente, que ocorre em tempo real, e o periódico, que serve para o balanço patrimonial.

Money Success GIF by JustStartInvesting

8. Gestão patrimonial

Atualiza o valor do patrimônio empresarial. Inclui a atualização da lista dos bens da empresa. Serve para avaliar o que está danificado, o que precisa ser comprado de novo, que tipo materiais de compra periódica precisam ser reabastecidos. É importante que esses gastos sejam bem registrados, para saber como impactam sobre a receita da empresa.

Money Save GIF by JustStartInvesting

9. Gestão orçamentária

Trata-se de uma projeção e avaliação de quais serão os custos e ganhos da empresa no próximo período. Busca ajustes de custos e despesas, garantindo a otimização do negócio. Através da lista de gastos e receitas previstos é possível estimar qual será a margem de lucro. Pode ser feito a cada mês, trimestre, semestre ou ano.

singularfact data visualization singular fact data dashboard GIF

10. Demonstração de resultados

O último dos 10 principais processos financeiros de uma empresa. Nele, cruza-se receitas, custos e resultados. Com isso, determina-se de forma transparente os ganhos líquidos da empresa. Não adianta prever como serão as finanças e controlá-las diariamente sem avaliar se deram os resultados esperados. 

É feito por meio da produção de um relatório que contém as demonstrações necessárias para que os gestores possam avaliar os próximos passos da empresa.

Conte com nossa ajuda nesses processos!

Ficou claro quais são os principais processos financeiros de uma empresa? A BRASCT é o escritório de contabilidade em São Paulo com a maior experiência e capacitação para ser parceiro da sua empresa na organização deles. 

Fazemos a gestão do setor financeiro de micro e pequenas empresas prestadoras de serviços. Nosso trabalho inclui a gestão de fluxo de caixa, gestão de contas a pagar/receber, relatórios de desempenho financeiro, além de conciliação financeira e bancária.

Também lançamos as contas da empresa para pagamento por meio do internet banking, bastando ao cliente aprovar o pagamento. Nosso usuário é exclusivo para lançamentos, não realizando outras transações.

Quer saber mais sobre o nosso trabalho? Entre em contato com a gente!

5 tendências de negócios online para 2022

Durante a pandemia da Covid-19, mesmo com o impacto negativo que ela teve na economia, o empreendedorismo se intensificou. É que os índices mais altos de desemprego fizeram com que muitas pessoas passassem a trabalhar por conta própria e abrissem seus micronegócios.

Dados do SEBRAE mostram que o primeiro semestre de 2021 teve um aumento recorde de abertura de micro e pequenas empresas. Foram 2,1 milhões de novos negócios só nesse período, um aumento de 35% em relação ao mesmo período de 2020. Nesse contexto, os negócios online tiveram um grande destaque devido ao isolamento social imposto pela pandemia.

Tudo indica que 2022 continuará tendo um cenário muito favorável para a abertura de novos negócios, especialmente no ambiente online. Estar atento às projeções do mercado é um excelente caminho para aqueles que ainda não decidiram em que área querem empreender. Por isso, fizemos este texto para mostrar 5 tendências de negócios online para 2022. Confira abaixo!

8 Key Components of Ecommerce Website Success | SaM Solutions

1. E-commerce

A pandemia não modificou nossa rotina apenas no período de isolamento. Essa experiência levou a adaptações nos hábitos de milhões de consumidores que estão permanecendo mesmo depois da melhora no combate à Covid-19. Um dos hábitos que mais se solidificaram foi fazer compras online. Mesmo com a reabertura do comércio, a expectativa é que as vendas online não diminuam. Pelo contrário, a tendência é de um aumento contínuo.

Uma das maiores vantagens do e-commerce é não precisar de uma loja física, o que diminui uma série de gastos, como aluguel, eletricidade e mão-de-obra. Além disso, uma loja online permite vender para um público muito maior.

Por outro lado, um ponto negativo é a concorrência, pois existem diversos outros e-commerce vendendo produtos semelhantes. Por isso, um bom marketing é o maior dos diferenciais. A grande tendência é a criação de conteúdo, que gera engajamento e agrega valor à marca. Explore as mídias sociais e avalie também criar um blog. A criatividade é muito importante!

Facebook Marketplace in 2021: The Definitive Guide

2. Marketplaces

Cada vez mais, ao invés de procurarem sites de empresas específicas para comprarem determinados produtos, os consumidores vão a sites ou aplicativos que vendem produtos de uma diversidade de empresas diferentes. Trata-se dos marketplaces, que são como shoppings digitais.

Essa é uma forma de comercializar produtos online sem ter que gastar com a criação e a manutenção de um site. Também permite com que novas pessoas cheguem aos seus produtos, através das ferramentas de busca da plataforma. 

No entanto, mais do que nunca, a concorrência é imensa, e seu produto pode não aparecer entre as primeiras opções, dificultando que os clientes o encontrem. Além disso, os clientes acabam não prestando atenção à sua marca. Por fim, é necessário pagar uma taxa ao marketplace pelas vendas.

Dropshipping Brasil | Facebook

3. Dropshipping

O dropshipping também é uma das tendências de negócios online para 2022. Dropshipping é uma forma de vender produtos na Internet que permite que o vendedor não precise manter mercadorias no estoque, nem enviar as encomendas. Quando o cliente faz um pedido, o vendedor repassa para o seu fornecedor, que por sua vez envia a mercadoria

Se um empreendedor vende camisas online, por exemplo, ele pode exibir os modelos disponíveis em um site, e quando um cliente fizer uma compra, o empreendedor faz o pedido para a empresa que produz a camisa e manda entregar na casa do cliente. Esse é um excelente formato para quem não tem muito dinheiro para investir na abertura de um negócio.

Uma das grandes oportunidades é a importação de produtos. São mercadorias que os clientes podem não achar facilmente para comprar, encontrando-as no site da sua empresa. Os produtos chineses, em especial, têm dominado os mercados internacionais, inclusive o brasileiro. Mas é preciso estar atento às regras de importação.

Hands using mobile payments

4. Marketing digital e criação de conteúdo

Como falamos acima, a criação de conteúdo é uma técnica de marketing digital que auxilia os e-commerces, mas não só eles. Negócios de qualquer setor que estão na Internet através de sites, blogs ou mídias sociais podem atrair novos clientes, fortalecer seus laços com os clientes atuais e agregar valor à sua marca gerando conteúdo online.

Se uma empresa é do setor de autopeças, por exemplo, ela pode contratar um redator para escrever artigos sobre manutenção de veículos e disponibilizá-los em um blog. Quando as pessoas pesquisarem sobre esse assunto, ela vão chegar ao blog e conhecer a empresa.

Essa tendência mostra que existem outras formas de empreender na Internet além do comércio de produtos, que é o que muitas pessoas conhecem. Redatores e designs gráficos, por exemplo, podem abrir empresas para oferecer esse tipo de serviço na Web.

As demais atividades de marketing digital também estão em contínua expansão. Entre elas, está a gestão de mídias sociais, que consiste no planejamento e programação das postagens, acompanhamento dos comentários, levantamento de resultados, etc. Outro exemplo é a gestão de tráfego, que é a criação de estratégias para atrair usuários para um site ou mídia social.

INFOPRODUTOS – PENSANDO FORA DA CAIXA

5. Infoprodutos

Também relacionado à criação de conteúdo, mas abordando possibilidades mais amplas, o mercado de infoprodutos está ligado à criação e comercialização de produtos digitais. Existem uma diversidade de possibilidades, como por exemplo:

  • E-books: livros digitais.
  • Audiobooks: livros gravados em formato de áudio.
  • Cursos online: cursos sobre os mais variados temas e com diferentes durações em horas de aula.
  • Webnários: seminários online gravados e disponibilizados posteriormente para interessados.
  • Podcasts: programas em áudio sobre os mais diversos assuntos, com edições periódicas.
  • Aplicativos: não se trata da atividade de programação, típica da área de informática, mas do conteúdo disponibilizado por meio de aplicativos, com aulas guiadas de meditação, por exemplo.

A maioria dos infoprodutos está relacionado à informação. Eles saem bem mais baratos que a produção dos mesmos tipos de produto ou a aplicação dos mesmos tipos serviços de forma física, porque são feitos uma única vez e replicados indefinidamente sem custos adicionais. Também não há gastos com fretes ou estoque.

Uma das possibilidades é trabalhar como afiliado, que é quando você não produz, apenas vende infoprodutos de terceiros.

Coloque seu plano em prática!

A Brasct Contabilidade é parceira dos novos empreendedores, auxiliando desde o começo do processo de abertura da empresa. Conte com um escritório de contabilidade em São Paulo para formalizar seu negócio e torná-lo cada vez mais próspero. Aproveite as novas tendências de negócio online e abra sua empresa em 2022 com o suporte da Brasct.

5 Opções de bancos digitais para PJ

No que diz respeito a serviços financeiros e bancários, nos últimos anos surgiram bancos digitais que conquistaram uma boa fatia do mercado com uma proposta inovadora e menos burocrática. Além de muito eficientes, os bancos digitais são conhecidos pelas tarifas reduzidas.

Os bancos digitais já são uma realidade na vida de muitos brasileiros, mas você sabia que também existem muitas vantagens de abrir uma conta digital para empresa?

Mas afinal, o que são bancos digitais para PJ?

Os bancos digitais também são chamados de bancos virtuais. Existe ainda outro termo menos usual, mas muito adequado para esse modelo de negócio: fintech.

O termo Fintech foi criado a partir da união das palavras financeiro em inglês – financial – e tecnologia – technology -; ou seja, em outras palavras trata-se do uso de tecnologia e inovação aplicadas aos serviços financeiros. Portanto, as startups fintech são empresas que aperfeiçoam os serviços financeiros por meio de soluções em tecnológicas.

Quais são as vantagens dos bancos digitais para empresas?

Em suma, a proposta dos bancos digitais para empresas é resolver problemas frequentes dos bancos tradicionais, como tarifas altas, conflito de interesses, filas, atendimento demorado e falta de transparência

Em contrapartida, os bancos digitais para PJ oferecem: atendimento prático e acessível por meio de smartphones ou outros canais com acesso a internet, tecnologia de ponta, atendimento rápido, eficiência e segurança.

A tecnologia aplicada de maneira inteligente nos serviços bancários permite que os bancos digitais trabalhem sem a necessidade de agências físicas. Os bancos virtuais atendem, com segurança e rapidez, todas as necessidades dos empreendedores por meio da internet.

Os 5 melhores bancos digitais para PJ

Nubank

O Nubank é uma startup brasileira, sediada em São Paulo, fundada em 2013 como operadora de cartões de crédito. Seu primeiro produto foi lançado em 2014, um cartão de crédito internacional com bandeira Mastercard e sem anuidade.

Em 2017 a empresa lançou o Nubank Rewards e a NuConta. Em 2019 começou a oferecer empréstimos. Mas esse serviço está disponível apenas para alguns clientes.

Ainda em 2019 o Nubank anunciou a NuConta PJ. Porém, o serviço pode ser contratado apenas por empresas de um único sócio, ou seja, MEI, Empresário Individual e Eireli.

Dentre as vantagens da NuConta para PJ estão:

  • tarifa zero de manutenção; 
  • realização de qualquer operação pelo aplicativo de smartphone; 
  • e transparência.

Na conta digital para Pessoa Jurídica, o Nubank possui as funcionalidades de transferências gratuitas e ilimitadas para outros bancos; envio de link de cobrança; possibilidade de gerar extrato OFX e PDF e o pagamento de boletos e tributos. A tarifa do boleto de cobrança é de R$3,00 por boleto.

Inter

O Banco Inter lançou a conta PJ em 2017. De acordo com a empresa, seus serviços bancários digitais atendem desde microempreendedores e profissionais liberais até grandes empresas.

Dentre os diferenciais da conta digital para Pessoa Jurídica estão: 

  • conta gratuita (sem mensalidade);
  • emissão de 100 TEDs e boletos gratuitos por mês;
  • recebimento por meio de QR code gratuito;
  • extratos por período em PDF, OFX e CSV;
  • máquina de cartão;
  • e folha de pagamento automática.

O banco digital também oferece linhas de crédito como capital de giro e antecipação de recebíveis do cartão de crédito (com juros a partir de 1% ao mês). Para usufruir da máquina de cartão a taxa é de 1,8% por transação no débito e 2,0% para operações no crédito à vista.

Cora Bank

O Cora Bank foi criado em 2020, especializado em pequenos e médios empreendimentos.

Os serviços oferecidos pela empresa são:

  • conta digital sem anuidade;
  • cartão de débito;
  • emissão de boletos sem tarifas adicionais, com plataforma para gerenciamento;
  • TEDs ilimitadas e sem tarifas.

Por se tratar de uma startup ainda nova, o Cora Bank não possui folhas de cheques ou cartão de crédito.

Banco Original

O Banco Original foi fundado em 2011, a partir da união do Banco JBS e o Banco Matone. Desde a sua fundação, o banco não possui agências próprias, pois realizava o atendimento através das lojas Bem-vindo.

O projeto para se tornar o primeiro banco digital brasileiro começou em 2013, com a proposta de não haver agências e todos os serviços serem oferecidos por meio da internet. O site do Banco Original, com essa nova proposta, foi lançado em 2015.

O banco tem quatro opções para pessoa jurídica: 

  • Conta Pessoa Única (para micro e pequenos empreendedores); 
  • Conta Empresas (para comércios com mais de um sócio);
  • Conta Corporate (para grandes empresas);
  • Conta Agronegócio (para produtores rurais).

Os serviços oferecidos são:

  • máquinas de cartões;
  • capital de giro;
  • conta-salário para funcionários;
  • cartão de débito MasterCard;
  • cartão de crédito internacional;
  • cashback para correntistas.

A principal desvantagem desse banco são as tarifas, pois o banco cobra taxas de serviços e anuidades, que variam entre R$29,90 e R$99,90. As contas Pessoa Única e empresa têm algumas isenções.

Linker

O Banco Linker é uma fintech inovadora, que começou a operar em 2019. O banco digital conta com muitos diferenciais para PJ e uma das maiores gamas de serviços financeiros, com capacidade para atender qualquer empresa.

A eficiência da tecnologia aliada ao atendimento humano

Ao contrário de outros bancos digitais, o Linker tem um importante diferencial que é o atendimento humano, via e-mail, chat ou redes sociais, 24 horas por dia. 

Com o uso dos bots nos serviços de outros bancos digitais muitos empreendedores passaram a se preocupar com a qualidade do atendimento. 

O Banco Linker é diferente, pois conta com tecnologia de ponta para oferecer serviços eficientes para empresas, mas sem reduzir a qualidade do atendimento, que é humanizado e acessível.

Dentre os diferenciais da empresa estão:

  • conta gratuita para PJ, sem mensalidade, taxa de abertura e de manutenção;
  • abertura de conta em até 2 dias úteis;
  • cartões de débito e crédito corporativos gratuitos, físicos e virtuais;
  • link de pagamento (linkerpay;
  • organização financeira;
  • extrato categorizável com exportação automática todos os meses;
  • atendimento humanizado 24 horas por dia;
  • emissão de boletos de cobrança com a opção de multa e juros por atraso;
  • transferências gratuitas com o PIX;

O Linker possui tarifas baixas e transparentes. A empresa não trabalha com pacote de serviços. O valor é R$2,00 para TED (para outros bancos) e R$2,00 para boleto compensado. A tarifa para saque em Banco24horas é R$10,00, conforme descrito no site.

Sistema seguro e organizado

O Linker possui um aplicativo inteligente com o sistema Cobrança Ativa, que facilita o gerenciamento de recebimentos e emissão de boletos; além de possibilitar a emissão de relatórios de acompanhamento.

No quesito segurança o Linker possui:

  • Certificação pela Autoridade Certificadora líder na América Latina, Certisign;
  • Monitoramento anti-fraude;
  • Transações seguras (transações validadas via token, conforme exigências do Banco Central);
  • Proteção ao uso não autorizado dos dados dos cartões da empresa.

O Linker tem se mostrado uma excelente opção para quem deseja abrir uma conta digital para Pessoa Jurídica, desde MEIs até micro e pequenas empresas. O serviço é rápido e personalizado. Saiba mais no site.

Os melhores Cnaes para o digital

O mercado digital está em expansão e cada vez mais empreendedores migram para a Internet. Com isso, também vão surgindo dúvidas.

No processo de formalização de uma empresa, um dos pontos importantes é a definição do CNAE. Mas muitos empreendedores que atuam no mercado digital ainda têm dificuldade de saber o CNAE correto para a atividade (ou as atividades) que desempenham.

 

 

Por isso, a seguir, vamos apresentar os melhores CNAEs para o digital e para os diferentes tipos de negócios. Acompanhe:

O que é o CNAE

CNAE significa Classificação Nacional de Atividades Econômicas. É a definição da atividade-fim de uma empresa. Por isso, se ela possuir mais de uma atividade, também deve ter mais de um CNAE.

Quando falamos de atividades desempenhadas no ambiente virtual, a lista de CNAEs ainda encontra-se desatualizada. Isso torna ainda mais difícil saber com precisão qual é o CNAE mais adequado para cada atividade no mercado digital.

Além disso, ao abrir uma empresa, nem sempre é possível encontrar um CNAE perfeito para cada atividade, então o correto é escolher o mais adequado entre os disponíveis.

Vale ressaltar que não existe uma norma definitiva que ligue cada atividade digital a um CNAE de forma oficial. Portanto, o que vamos apresentar é o que tem sido considerado o melhor CNAE para cada um dos negócios digitais.

Portais e ferramentas de busca na internet

Algumas empresas possuem como atividade prover informação na internet, por meio de websites ou ferramentas de busca. Essas empresas geram e mantêm um determinado tipo de conteúdo ou uma grande base de dados para pesquisa e informação. Existem também empresas que atualizam periodicamente o conteúdo e atuam como meios de comunicação no mundo digital.

Para essas empresas o CNAE adequado é 6319-4/00 – Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet.

Esse CNAE engloba, por exemplo, bancos de informações para pesquisa e análise; serviços de distribuição online de conteúdo; serviços de música através da internet; páginas de publicidade; páginas de entretenimento na internet, como jogos (com exceção de jogos de azar); entre outros.

E-commerce

Empresas que trabalham com a venda de produtos pela Internet, seja através de site, mídia social, aplicativo, etc., devem usar o CNAE correspondente ao tipo de produto que comercializam. Portanto, o CNAE será o mesmo utilizado por uma loja física do mesmo setor. O CNAE de uma loja virtual que vende roupas, por exemplo, é:

4781-4/00 – Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios

Produção digital

A produção digital, também chamada de infoprodução, é a criação de produtos digitais. Nesse caso, o CNAE varia de acordo com o tipo do produto. 

  • E-book: 5811-5/00 – Edição de livros
  • Curso online para desenvolvimento profissional: 8599-6/04 -Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial

Afiliados

Em outubro de 2021 a Receita Federal criou um CNAE específico para esta atividade:

  • 7490-1/04 – divulgação de serviços na internet (afiliados digitais), exceto por provedores de conteúdo

Anteriormente, como ainda não existia um CNAE específico, dois deles eram usados em conjunto: 7319-0/02  (Promoção de vendas) e 7319-0/03 (Marketing direto).

Posts pagos

Podemos dizer que os influenciadores digitais exercem uma atividade econômica quando fazem publicidade para determinadas marcas. Também nesse caso ainda não há um CNAE específico. O que tem sido usado é relacionado às agências de publicidade, pois a atividade é similar.

  • 7311-4/00 – Agências de publicidade

Gestão de tráfego

Gestão de tráfego é o gerenciamento dos anúncios de uma empresa visando atrair usuários. Essa atividade também é enquadrada como similar à publicitária:

Para MEI usamos:  

  • 7319-0/02 – Promoção de vendas
  • 5819-1/00 – Edição de cadastros, listas e de outros produtos gráficos

Para ME usamos:

  • 7319-0/03 – Marketing direto
  • 7319-0/04 – Consultoria em publicidade
  • 6319-4/00 – Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet 
  • 5819-1/00 – Edição de cadastros, listas e de outros produtos gráficos 
  • 7319-0/02 – Marketing direto

Copywriting

Copywriting é o processo de criação de textos persuasivos para publicidade ou marketing. Assim como no caso dos influenciadores digitais e dos gestores de tráfego, mais uma vez o CNAE utilizado é  o mesmo de agências publicitárias:

  • 7311-4/00 – Agências de publicidade

Neste caso, também é possível utilizar os CNAEs de edição:

  • 5812-3/01 – Editor(a) de jornais diários independente
  • 5812-3/02 – Editor(a) de jornais não diários independente
  • 5819-1/00 – Editor(a) de lista de dados e de outras informações independente
  • 5811-5/00 – Editor(a) de livros independente
  • 5813-1/00 – Editor(a) de revistas independente

Canais de vídeos

Esse é mais um caso sem CNAE específico para o digital. Para esses casos, têm sido utilizados dois CNAEs diferentes, descritos abaixo. O primeiro é adequado para qualquer canal de vídeos, e o segundo é adicional para os canais que são monetizados:

  • 5912-0/99 – Atividades de pós-produção cinematográfica, de vídeos e de programas de televisão não especificadas anteriormente
  • 7319-0/03 – Marketing direto

Desenvolvimento de aplicativos

Para essa atividade digital existe um CNAE muito aproximado, relacionado ao desenvolvimento de programas de computador. De certa forma, são atividades muito similares. Portanto, o CNAE abaixo é comumente utilizado para o desenvolvimento de aplicativos, mas a descrição está desatualizada:

  • 6201-5/01 – Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda

Marketing digital

Para o Marketing digital é utilizado um CNAE que engloba atividades de marketing direto. Porém, uma agência que faz trabalhos de marketing digital possui diversas outras estratégias de marketing. Esse CNAE para o digital é:

  • 7319-0/04 – Consultoria em publicidade
  • 7319-0/03 – Marketing direto

Segurança da informação

Essa atividade também não tem um CNAE exclusivo, mas encaixa-se bem em um mais abrangente:

  • 6209-1/00 – Suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação

Análise de dados

Esse caso é parecido com o da segurança da informação. Entretanto, o CNAE que tem sido usado para análise de dados é:

  • 6311-9/00 – Tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet

Freelance

No caso de freelancers, é muito importante ressaltar que o CNAE vai depender da atividade que o profissional desempenha. Portanto, vários CNAES podem ser adequados para quem realiza serviços de freelance para o digital. Neste texto, apontamos dois como exemplo:

  • Redator: 5812-3/01 Edição de jornais diários
  • Tradutor: 7490-1/01 – Serviços de tradução, interpretação e similares

Precisa de mais esclarecimentos?

Definir qual é o melhor CNAE para seu negócio ou empresa digital não é simples. Além disso, o assunto pode se tornar ainda mais complicado se você também não estiver certo quanto às atividades desempenhadas pela empresa. 

Essas são dúvidas com as quais estamos acostumados. Vários profissionais chegam à Brasct sem saber os melhores CNAES para o digital. Nosso escritório de contabilidade em São Paulo está pronto para ajudá-lo a escolher as atividades e realizar as etapas necessárias para tornar o seu sonho de empreender uma realidade!

Abertura de Empresa: Como Funciona

O processo de abertura de empresas está cada vez mais facilitado, especialmente com a ajuda de um escritório de contabilidade. Em alguns municípios, a abertura já pode ser feita totalmente online e de forma bastante rápida. É o caso de São Paulo, por exemplo, onde um empreendedor pode registrar seu negócio sem sair de casa e em até dois dias.

Entretanto, existe uma ordem certa de passos a serem seguidos e várias exigências por parte dos órgãos municipais e estaduais responsáveis. Por isso, é comum os novos empreendedores ficarem um pouco perdidos ou confusos. Se esse é o seu caso, não se preocupe, vamos abordar cada um dos passos, e falar um pouco mais sobre o trabalho realizado pela Brasct:

Escolha do CNAE

A primeira decisão a ser tomada no processo de abertura de uma empresa é a definição do CNAE (Código Nacional de Atividades Econômicas). O CNAE representa a atividade que a empresa desempenha. A empresa precisa ter pelo menos um CNAE, mas pode ter outros CNAEs secundários, no caso de exercer mais de uma função.

Após a definição da atividade, deve ser feita a verificação da viabilidade do endereço junto à Junta Comercial. Será necessário entrar com um pedido para validar se a atividade da empresa pode ser exercida no endereço determinado pelo empreendedor.

Definição do Porte

A definição do Porte da empresa depende da faixa de faturamento, além do número de sócios e quantidade funcionários.

Alguns empreendedores podem optar por ser MEI (Microempreendedor Individual). Porém, existe uma lista de atividades permitidas, o limite do faturamento anual atual é 81 mil reais, e só é possível ter um funcionário.

Além do MEI, existe Microempresa (ME), Empresa de Pequeno Porte (EPP), Empresa de Médio Porte e Grande Empresa.

Determinação da Natureza Jurídica

Outra decisão que precisa ser tomada é a respeito da Natureza Jurídica da empresa, que é a sua configuração em relação a sócios e Capital Social. 

As opções mais comuns são Sociedade Empresaria Limitada (LTDA) e Sociedade Limitada Unipessoal (SLU).

Escolha do Regime Tributário

O Regime de tributação estabelece a modalidade de cobrança dos impostos, e existem três opções: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real.

A grande maioria das empresas começa optando pelo Simples Nacional, mas isso não é uma regra. Para algumas delas, pode ser mais vantajoso o Lucro Presumido ou o Lucro Real.

Contrato Social e registro na Junta Comercial

Antes mesmo de abrir o CNPJ, será necessário elaborar o Contrato Social, que é o instrumento de constituição da empresa. Nesse documento, os empreendedores devem decidir o nome da empresa, o Capital Social e o percentual de participação de cada sócio.

Com o Contrato Social e os documentos dos sócios em mãos, é preciso registrar a empresa na Junta Comercial. É a partir daí que o negócio recebe um CNPJ, e a empresa finalmente passa a existir.

Inscrição Municipal

Depois do registro na Junta Comercial, será necessário fazer o cadastro na Prefeitura. Na maior parte dos municípios do Brasil o preenchimento pode ser feito pela internet e gratuitamente.

A maioria das prefeituras solicita Contrato Social, cartão CNPJ, além de RG, CPF e comprovante de endereço dos sócios. Para algumas atividades podem ser necessários ainda o alvará da vigilância sanitária, o laudo de vistoria dos bombeiros e outras autorizações.

Alvará de Funcionamento

O Alvará de Funcionamento deve ser solicitado junto à Prefeitura ou outro órgão governamental, podendo variar de acordo com o município. No caso de São Paulo, existe um serviço online. Clique aqui.

Além disso, dependendo da atividade da empresa poderão ser necessárias outras licenças, como Licença Ambiental, Licença Sanitária, Produtos Químicos Controlados, entre outras. 

Inscrição Estadual

Esse passo é exclusivo para empresas do setor do comércio. Para empresas desse tipo, o empreendedor deve fazer a inscrição na Secretaria da Fazenda do Estado.

Vale a pena abrir empresa por conta própria?

Algumas vezes, com o intuito de economizar dinheiro, o empreendedor tenta fazer todo o processo de abertura da empresa sozinho. No entanto, se não for feita da maneira correta, essa decisão pode trazer prejuízos. 

Primeiramente, o empreendedor pode perder muito tempo aprendendo sobre cada um dos passos e tentando fazê-los por conta própria. 

Esse tempo que o empreendedor gasta é valioso, e traz muito mais resultados se for dedicado ao desenvolvimento do negócio, captação de clientes e tomada de decisões estratégicas.

Os passos de abertura da empresa podem ser delegados a um escritório de contabilidade que possua profissionais experientes e capacitados para essa tarefa. Uma vez que já conhece cada uma das particularidades do processo, o profissional de contabilidade pode fazê-lo de forma mais rápida e assertiva.

Além disso, ao fazer a abertura da empresa por conta própria, o empreendedor pode deixar de cumprir alguma exigência. A consequência de um erro nesse momento pode resultar em multas sérias futuramente. 

Vantagens de contar com a Brasct para fazer a abertura da sua empresa

A Brasct é um escritório de contabilidade em São Paulo que possui 48 anos de experiência. Somos especializados no processo de abertura de empresas e nos responsabilizamos por todos os detalhes. 

A partir de uma conversa com os sócios, auxiliamos na definição do CNAE e na escolha do regime tributário mais vantajoso para o negócio. Solicitamos os documentos, montamos o Contrato Social, damos entrada em todos os órgãos, incluindo Junta Comercial, Secretaria da Fazenda, emitimos as guias das taxas que precisam ser pagas. 

Em resumo, fazemos tudo que precisa ser feito para colocar a empresa pronta para trabalhar! O cliente não precisa nem mesmo sair de casa. 

Além disso, para os negócios de prestação de serviços, que necessitam de Alvará e Inscrição Municipal, fazemos inclusive o cadastro de usuário e senha no site da Prefeitura para emissão de nota fiscal. Para os casos em que houver necessidade de obter um Certificado Digital, também nos responsabilizamos por isso.

Desconto especial da Brasct para novos clientes

CUMPOM DE DESCONTO: #BRASCT

A Brasct oferece um Ticket de Abertura para os novos clientes. Com ele, o cliente só paga a primeira mensalidade depois de 30 dias. 

Essa é uma oferta muito interessante pois, independente do dia do mês em que foi feita a abertura, seja no dia 1º ou no dia 31, será necessário entregar todas as obrigações referentes ao mês, e a Brasct se responsabiliza por tudo!

Além disso, com o cupom da Brasct #BRASCT, o cliente ainda recebe 3 meses gratuitos do Bling, um Sistema de Gestão Empresarial Integrado (ERP) para e-commerce.


Abertura de Empresa: Como Funciona





É possível abrir uma empresa sem largar o emprego?


É possível abrir uma empresa sem largar o emprego?





Quanto custa fechar uma empresa?


Quanto custa fechar uma empresa?



É possível abrir uma empresa sem largar o emprego?

Neste momento de crise pelo qual o país passa, a renda familiar de muitos brasileiros está bastante apertada. Mesmo algumas pessoas que trabalham com carteira assinada precisam fazer trabalhos extras para complementar a renda ocasionalmente.

Outras vezes, um profissional que trabalha no regime CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) tem o sonho de abrir empresa para si, mas não tem como fazer isso de uma hora para a outra, tendo que permanecer no emprego até consolidar seu empreendimento.

Como essas, são várias as situações que podem levar alguém que trabalha com carteira assinada a ficar em dúvida sobre o que precisa para abrir empresa. Será que é permitido? Não gera nenhum problema para o profissional? Vamos descobrir a seguir. Acompanhe:

O que a empresa contratante diz sobre isso?

A primeira questão que o profissional precisa saber é a se a empresa na qual ele trabalha tem alguma regra que proíba os funcionários de abrir empresa. Em alguns casos, pode ser que a proibição seja apenas para a abertura de empreendimentos na mesma área em que a empresa atua, podendo haver uma flexibilização sobre a abertura de empresa de outro tipo.

De todo modo, mesmo que não haja proibição para abrir um negócio na mesma área da empresa em que o profissional trabalha, ainda assim, fazer isso pode não ser uma boa ideia. É que, nesse caso, a empresa passa a ter direito de demiti-lo por justa causa.

A questão está prevista no artigo 482 da CLT, caracterizando a possibilidade de demissão por justa causa devido à concorrência do novo empreendimento.

De qualquer forma, antes de mais nada, é necessário ler o contrato de trabalho para saber se alguma cláusula fala sobre essas questões. Caso contrário, podemos observar se existem ou não impedimentos na legislação brasileira. É o que faremos a partir da próxima seção.

É possível abrir um negócio como MEI?

Sim. Quem trabalha no regime CLT também pode ter um negócio como MEI (Microempreendedor Individual). Não existe nenhum tipo de legislação no país que impeça isso. O regime MEI é voltado para quem fatura até 81 mil reais por ano e tem no máximo um funcionário.

Mas cabe um detalhe: o MEI não pode ser titular, sócio ou administrador de outra empresa. Portanto, se o profissional atuar como administrador não sócio de uma empresa, nesse caso, ele não pode ser MEI. 

Quando uma pessoa trabalha como CLT e MEI ao mesmo tempo, ela contribui para a previdência social duas vezes. A primeira através do recolhimento do INSS sobre o salário, sob responsabilidade do empregador.

A segunda através da guia do DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que o MEI deve quitar mensalmente. Nesse caso, as duas contribuições são somadas para cálculo da aposentadoria e dos demais benefícios.

Como ficam os direitos trabalhistas?

O empregado continua tendo direito ao Abono Salarial e ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Mas no caso do Abono Salarial, para ter direito a ele também é necessário cumprir outras exigências:

  • Ser cadastrado no Programa de Integração Social (PIS) há pelo menos cinco anos.
  • Ter o nome informado pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).
  • Ter trabalhado por pelo menos 30 dias no ano.
  • Ter remuneração média de até dois salários mínimos.

No entanto, há um ponto negativo. O trabalhador que também atua como MEI perde o direito ao seguro-desemprego. É que esse benefício é voltado para funcionários demitidos sem justa causa que não tenham outa fonte de renda.

Entretanto, existe a possibilidade de comprovar que a renda proveniente do MEI não é suficiente para o sustento da família. Para isso, é preciso apresentar documentos como a Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual (DASN-SIMEI). Se isso ficar comprovado, o profissional pode voltar a ter direito ao benefício.

E quanto aos demais tipos de empresa?

Também pode. A CLT não diz nada sobre uma pessoa com carteira assinada ficar impossibilitada de ter uma empresa em seu nome. Portanto, além do MEI, o profissional pode ser titular ou sócio de qualquer um dos tipos de empresa:

  • Empreendedor Individual (EI)
  • Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI)
  • Sociedade por Cotas de Responsabilidade Limitada (LTDA)
  • Sociedade Limitada Unipessoal (SLU)
  • Sociedade Anônima (SA)

Em relação aos direitos trabalhistas, vale o mesmo que foi explicado para o MEI. Porém, no caso desses outros tipos de empresa, o faturamento costuma ser maior, o que faz com que possivelmente a renda proveniente da empresa seja superior ao salário. Nesse caso, o profissional perde o direito ao seguro-desemprego sem a possibilidade de recorrer.

Em relação ao INSS, os sócios que trabalham na empresa recolhem INSS sobre o pró-labore. Nesse caso, essa contribuição se junta à efetuada sobre o salário recebido onde o profissional tem a carteira assinada para cálculo de aposentadoria e outros benefícios.

É igual para os servidores públicos?

Quem trabalha como servidor público para a União não pode abrir empresa. É o que define a lei 8.112/90, que dispõe sobre o regime jurídico dessa categoria. Mas isso não se aplica a Empresas de Economia Mista. 

Já para servidores estaduais e municipais, não existe uma regra geral. Por isso, é preciso se informar sobre a existência ou não dessa proibição na legislação de cada município ou estado.

Precisa de ajuda para formalizar o seu negócio?

Quem trabalha com carteira assinada e está tentando descobrir como abrir empresa pode ter pouco tempo para cuidar da burocracia necessária. Se esse for o seu caso, você pode sempre contar com os serviços de nosso escritório de contabilidade. A Brasct pode te ajudar em tudo o que precisa para abrir empresa sem prejudicar sua dedicação ao emprego que já possui.