3 dicas para reduzir os custos tributários na sua empresa

Toda empresa precisa cumprir com o pagamento de tributos e taxas, o que muitas vezes, acaba abalando a saúde financeira da empresa. Por conta dos altos tributos cobrados pelo Governo, os empresários procuram sempre alternativas para reduzir a carga tributária da empresa, ou seja, pagar menos tributos.

Para que isso seja possível, a empresa deve se organizar e atentar-se a alguns fatores que, de preferência, devem ser orientados por um advogado tributário, para que não haja sonegação fiscal e a empresa consiga pagar menos de forma legal.

Dessa forma, um eficiente planejamento tributário se faz necessário, contando, se possível, com profissionais especializados e com tecnologia que auxilie no monitoramento e nos cálculos dos compromissos fiscais.

Quando essa tarefa é bem-feita e sem riscos fiscais, a empresa consegue melhorar o seu saldo de fluxo de caixa, o que proporciona mais dinheiro para investimentos e cumprimento das obrigações da empresa.

Separamos algumas dicas para sua empresa conseguir reduzir a carga tributária de forma legal e totalmente positiva. Confira!

Defina o regime tributário da empresa

O primeiro passo de um bom planejamento tributário, é definir qual regime a empresa se encaixa. Essa decisão é feita todo ano e é a partir dela que são definidos quais impostos devem ser recolhidos e como os procedimentos ocorrerão. Em nosso país, encontramos 3 tipos de regimes tributários:

• Lucro Real: A tributação incide sobre o lucro líquido real da empresa durante um determinado período. É indicado para empreendimentos de grande porte.

• Lucro Presumido: A carga tributária incide sobre um lucro estimado pela lei. É indicado para empresas que apresentam margens de lucro menores.

• Simples Nacional: Todos os tributos são pagos por meio de um único documento: o Documento de Arrecadação do Supersimples (DAS). Assim, a gestão dos tributos é mais simplificada e os valores cobrados são mais baixos. É indicado para ME (microempresa), EPP (empresa de pequeno porte) e MEI (microempreendedor individual).

Ao saber qual regime a sua empresa se encaixa, a sua equipe poderá conhecer os tributos a serem cobrados e obrigatórios e quais podem ser reduzidos legalmente.

É importante ressaltar que é de suma relevância que a sua equipe e você, empreendedor, saiba a realidade financeira da sua empresa antes de decidir o regime ideal para a mesma. Ao comparar as formas de pagamento de cada regime, as brechas e as hipóteses de isenção com a realidade financeira da empresa, é possível optar pela tributação mais adequada.

E isso não significa que o regime mais simples seja o mais vantajoso economicamente. Por exemplo, enquanto o Lucro Real exige mais declarações ao longo do ano, porém tributa somente o lucro da empresa nos seus maiores impostos e não seu faturamento total.

Benefícios fiscais podem ajudar

Os benefícios fiscais acontecem através de trocas interessantes para o Governo, que irão ser revertidas em redução ou até mesmo isenção de impostos de empresas. Exemplos disso, são as aquisições de ações da empresa, investimentos em áreas específicas ligadas ao Governo ou entradas em programas do Governo. Dessa forma, a organização tem redução ou isenção de imposto de renda e Contribuição Social.

Geralmente, esses investimentos estão ligados ao incentivo de ações voltadas à cultura, à educação ou à responsabilização e conscientização social, o que consegue também melhorar a imagem da empresa e proporcionar mais credibilidade.

Subdivida a empresa

Empresas muito grandes ou que realizam mais de um tipo de atividade comercial, podem subdividir a empresa para reduzir o impacto dos impostos. Assim, você consegue enquadrar cada atividade no melhor regime tributário e obter uma economia considerável para o todo. Além disso, a subdivisão pode diminuir a carga tributária, por reduzir a base de cálculo de cada parte da empresa e, assim, gerar incidências alíquotas mais baixas.

Precisa de auxílio para a contabilidade de sua empresa?

5 dicas imperdíveis para você abrir um centro automotivo

A Brascont é um Escritório Contábil e nasceu na Cidade de Carapicuíba no ano de 1973, fundada pelo então Técnico Contábil e Advogado Samuel de Souza.  Já em 1992 quando Arnaldo da Silva Carvalho e Marcia Câmara de Souza a assumiram, houve um crescimento rápido e expressivo. O diferencial da Brascont é a busca pelo atendimento diferenciado e personalizado aos seus clientes, garantindo uma prestação de serviço de alta qualidade, se destacando na prestação de serviços preventivos e de recuperação de empresas.

A rentabilidade gerada por negócios que envolvem prestação de serviços ou vendagem de equipamentos para carros é bem alta e por isso mesmo, muita gente anda querendo abrir um centro automotivo.

Pensando nisso, nós selecionamos para você 5 dicas imperdíveis sobre como você pode abrir um centro automotivo!

           1-Habilidades necessárias para montar um centro automotivo

Uma qualidade que faz toda a diferença no dia a dia de um centro automotivo é a capacidade que o empreendedor tem de lidar com problemas.

Quando você consegue adquirir ou aprimorar sua habilidade em resolver problemas complexos, absolutamente nada consegue parar o seu negócio. Ter um gosto e uma paixão pelo que faz, torna a sua visão diferente e te faz ir mais longe.

Para que seu centro automotivo tenha sucesso, ele precisa de:

  • Produtos e serviços com alta qualidade;
  • Atenção com questões de segurança;
  • Interesse forte em conquistar a confiança do consumidor.

Esses são três fatores críticos para que seu centro automotivo possa dar certo.

           2-Planejamento para montar um centro automotivo

A palavra-chave para alcançar o sucesso, não só quando o assunto é abrir um centro automotivo, mas bem qualquer situação, é: Planejamento.

Se você não tiver conhecimento de mercado, sem fazer planos estratégicos para a criação de seu novo negócio, infelizmente, ele não irá durar muito.

Ainda bem que nós estamos aqui para te alertar!

Então, para começar este estudo sobre seu mercado, você pode fazer uma pesquisa prévia, onde seja possível descobrir como está à demanda por serviços automotivos no lugar onde quer atuar e ainda se fortalecer com seus principais concorrentes.

Fazendo isso, você consegue definir suas estratégias e seu diferencial.

Assim, sua noção de como vai funcionar o seu centro automotivo, fica mais simples. Mas, não é só isso. O planejamento também serve para te deixar com os pés no chão, fazendo planos bem realistas quanto a todas as possibilidades que seu negócio terá.

Agora que já sabe disso, corre e anota tudo em um papel! Antes de começar o investimento, é por ele que sua empresa será estruturada.

           3-Organização do centro automotivo

A organização do local influencia muito na decisão do cliente de comprar seus produtos ou serviços.

Verifique sempre a limpeza do local e cuide para que as ferramentas estejam sempre em bom estado. Mesmo sendo um centro automotivo, é indispensável que os funcionários tenham higiene básica e uma boa capacidade de inspirar confiança nos consumidores.

Sim, são os pequenos detalhes que fazem grandes diferenças!

           4-Quanto custa montar um centro automotivo?

Não dá para dizer ao certo quanto custa abrir um centro automotivo hoje em dia, porque tudo depende de diversos fatores como, por exemplo, a localização.

Falando com uma visão geral, você vai ter que investir entre R$ 90 e R$ 150 mil reais para abrir um bom centro automotivo.

           5-Trabalho e divulgação do negócio

No começo você vai precisar de pelo menos mais 2 mecânicos que possam te auxiliar nos serviços, isso enquanto seu negócio for pequeno.

Além disso, também terá que contratar outros funcionários que te auxiliam em serviços do caixa e do próprio escritório do seu centro automotivo.

As “portas do seu negócio, só serão abertas, depois que houver divulgação, além de todo o aparato legal para funcionamento.

Assim, quando tudo estiver pronto e muito bem organizado, realize uma divulgação em redes sociais, por exemplo, para uma festa inaugural, onde você pode realizar alguns serviços em promoção.

Não conte apenas com as redes sociais, como citamos, mas você também pode usar:

  • Rádio;
  • Carros de som;
  • Fazer panfletagem;
  • Outros meios que achar úteis.

Não é difícil e você sabe que pode conseguir! Se este é o seu sonho de negócio, depois dessas dicas ficou bem mais fácil, não é?

Agora é só pôr em prática!

Qualquer coisa entre em contato conosco, nós podemos lhe auxiliar com toda parte burocrática legal para abrir um centro automotivo de muito sucesso! Será um prazer ajudá-lo!

6 dicas para construir um ambiente colaborativo em sua empresa e ter muito sucesso nos negócios!

Muitas características definem um negócio bem sucedido, tais como, uma abordagem inovadora, estratégias bem definidas, exclusividade, liderança forte e bem preparada, inteligência criativa, confiança, a cultura da empresa, funcionários criativos e que pensem fora da caixa, trabalho em equipe, desenvolvimento colaborativo, dentre outros fatores.

Porém, um dos maiores fatores mais importantes e que deve ser levado muito a sério, para que pequenas, médias e grandes empresas tenham sucesso é conscientização de sua equipe de profissionais sobre o valor da comunicação e da colaboração.

Construir um ambiente de confiança dentro de uma equipe, e capacitar o espírito colaborativo, é primordial para o crescimento de qualquer empresa”

Hoje em dia, empresas e organizações têm criado diversos ambientes virtuais para a comunicação entre os membros das diversas equipes envolvidas no planejamento, desenvolvimento e conclusão de um projeto. Este tipo de ambiente possibilita também, caso haja necessidade, a participação de especialistas altamente qualificados – até de fora da empresa – para atender as demandas de um projeto desafiador. Além, é claro, de permitir a interação ativa do cliente para que o projeto esteja sempre alinhado com suas expectativas.

Em tais projetos, os membros da equipe devem se comunicar livremente, compartilharem conhecimentos e habilidades, compreenderem e respeitarem a inteligência emocional de cada um, serem capazes de aprender uns com os outros, compartilharem recursos, serem flexíveis e terem objetivos em comum – todas as qualidades de uma cultura colaborativa forte.

Como as empresas podem capacitar suas equipes de modo a se tornarem fortemente colaborativas?

Se você quer saber realmente o que faz uma empresa ser muito bem sucedida, então leia as 6 dicas que preparamos para você sobre como construir uma cultura de colaboração mútua em sua empresa.

1º Defina expectativas realistas

  • Por que a equipe foi criada?
  • Cada membro da equipe compreende seu papel?
  • Eles compreendem suas tarefas?

Quando as expectativas não estão claramente definidas e os papéis não são muito bem definidos e compreendidos, a equipe não é capaz de se concentrar nas tarefas e objetivos da empresa.

O sucesso da equipe depende de expectativas realistas

Para transformar um grupo de estranhos em uma equipe unida, você como gestor, precisa permitir que a equipe participe ativamente de sua formação e tomadas de decisão. Dê-lhes também a oportunidade para apresentarem suas ideias e fundamentalmente, dê apoio às mesmas.

2º Crie uma liderança forte

O fracasso ou sucesso em colaborar reflete a liderança da empresa.

Se os líderes e gerentes possuem uma abordagem inovadora para a formação de equipes, demonstram comportamento colaborativo, apoiam à criatividade e as relações sociais, as equipes são focadas e eficientes, conseguem resultados expressivos e o seu desempenho é excelente.

Líderes inovadores, que são solidários, flexíveis, orientados a tarefas e relacionamentos, lideram as equipes mais produtivas.” 

 3º Estimule um ambiente de confiança mútua

Inovação e criatividade prosperam quando as pessoas confiam umas nas outras e têm confiança em sua organização.

Sempre há certo risco envolvido na inovação, pois algumas ideias e sugestões podem parecer irrelevantes, ridículas e até estúpidas.

“Para que sua equipe se comunique livre e facilmente, é preciso construir um ambiente de confiança”

Se os funcionários não se sentem confiáveis ​​e respeitados, eles não serão participativos e também não irão compartilhar suas ideias.

O medo de ser ridicularizado é uma grande barreira para a inovação e o sucesso empresarial. Se você promover a autonomia da equipe, você estará apoiando sua equipe a descobrir novas maneiras de atingirem suas metas.

Enquanto a autonomia pode resultar em erros de execução e erros de julgamento, é essencial ter uma equipe que esteja pronta para aprender com seus erros e ineficiências.

4º Apoie o espírito comunitário

Empresas bem-sucedidas compreendem a importância de promover e reforçar a ideia de que uma empresa é uma comunidade, uma família.

A importância das atividades de construção de equipes, redes informais ocasionais e atividades aleatórias e de alívio do estresse são muitas vezes subestimadas. O networking informal e formal desempenha um papel crítico no cultivo do espírito de equipe. Através dessas atividades, a empresa estará construindo uma comunidade forte. Além disso, uma comunidade forte e unida capacita e motiva a criatividade.

 5º Invista nas habilidades e nos conhecimentos de seus funcionários

A empresa que apoia seus funcionários através de seminários, orientação, treinamentos, mentorias e participação em conferências e eventos relevantes, capacita o comportamento colaborativo, apoia a comunidade e promove o ambiente no qual as pessoas sabem que podem se destacar. Essa política da empresa é especialmente importante para o trabalho em equipe.

“Os funcionários mais produtivos são aqueles prontos para aprender e melhorar sempre sua atuação em seu campo de interesse.”

Agindo assim, você terá uma equipe altamente motivada para participar ativamente e contribuir para o sucesso do negócio.

6º Invista em tecnologia colaborativa

O que acontece quando você tem uma equipe que quer colaborar, compartilhar conhecimento e se comunicar livremente, porém não possui meios para que isso aconteça?

Hoje, a tecnologia colaborativa é crucial para uma comunicação eficaz. Uma equipe pode ter uma cultura colaborativa, mas ainda lhe faltam as habilidades necessárias para se trabalhar em ferramentas colaborativas. Investir em treinamento e na tecnologia que realmente se adapte às necessidades de sua equipe e as tarefas que estão executando, é o primeiro passo para a criação de uma cultura colaborativa eficiente.

O fortalecimento do espírito colaborativo em sua equipe depende de uma série de fatores, como, atitudes colaborativas da liderança, habilidades de comunicação, confiança mútua e um cenário realista e bem estruturado, onde cada um entenda efetivamente o seu papel.  Entretanto, o mais importante é entender que desenvolver as capacidades da sua equipe leva tempo e investimentos de longo prazo.

Agora que você se conscientizou sobre a importância de incentivar e proporcionar condições para a criação e fortalecimento de um ambiente colaborativo em sua empresa, que tal colocar essas dicas em prática?

Você precisa entender que as empresas precisam se ajustar ao ambiente de negócios que mais lhes trazem resultados!

Construir um ambiente de trabalho colaborativo é um processo de longo prazo. 

Pense nisso e muito sucesso!