E-commerce: 16 fatores que influenciam na escolha do consumidor

Os consumidores online estão cada vez mais exigentes. No Google, por exemplo, a busca por “melhor” supera a busca por “mais barato”. Isso se deve ao fato de que é muito fácil encontrar o produto com menor preço pelas ferramentas do próprio Google ou dos marketplaces.

Mas definir qual é o produto de maior qualidade é subjetivo e demanda maior pesquisa. É aí que moram diversos critérios para definir a escolha dos produtos. Se você tem um e-commerce, não deixe de conferir esta lista com 16 fatores que influenciam na escolha do consumidor.

Aprenda a comprar preços na internet e a obter descontos nas compras - Avós  na Internet

1. Preço

Esse é o fator mais óbvio, certo? Afinal, como falamos anteriormente, é muito fácil comparar o valor dos produtos à venda, então esse já é um filtro para estabelecer quanto o consumidor pode ou quer pagar.

Depois dessa peneira, as pessoas costumam pesquisar pelo produto que tem maior qualidade entre os que cabem no orçamento. Nesse ponto, a qualidade tende a definir qual produto escolher. Mas entre produtos de qualidades semelhantes, o preço acaba sendo o critério de desempate mais natural.

Optimizing eCommerce product descriptions and unique content

2. Presença

Antes de mais nada, é preciso se fazer presente nas pesquisas do consumidor. O primeiro passo essencial para que alguém compre o seu produto é encontrá-lo. Por isso, além de estar disponível nas principais plataformas, ainda é preciso criar uma imagem forte e atraente para a marca e os produtos, para que eles se destaquem.

Emerging trends for ecommerce and retail in 2022

3. Tendências

Naturalmente, a busca tende a ser maior por produtos que trazem novidades ou que estão na moda. Por isso, manter a lista de produtos atualizada à realidade do mercado é um passo essencial para alcançar boas vendas.

Mais vendidos no Mercado Livre

4. Gatilhos de significado

São palavras, frases curtas, descrições, símbolos ou imagens que rapidamente criam atalhos mentais, fazendo com que o consumidor associe o produto a ideias positivas. É o caso de frases como “sem adição de açúcares”, palavras como “econômico”, desenhos como uma folha de árvore representando consciência ambiental, etc.

Attractive asian female beauty blogger broadcasting livestreaming on her social media

5. Análises

Trata-se de recorrer a especialistas para saber qual produto eles consideram melhor. É o caso de uma influenciadora digital que faz avaliações de maquiagens, por exemplo. Também pode ser um site de tecnologia que faz análises dos diversos modelos de notebook para comparar quais são as vantagens de cada um.

6. Escassez

As pessoas tendem a se sentir mais impulsionadas a comprar quando o estoque do produto é pequeno, e ele corre o risco de acabar rapidamente. Isso faz que o consumidor tenha pouco tempo para decidir e acabe finalizando a compra para não se arrepender depois. Essa lógica funciona muito bem com vagas limitadas de cursos online, por exemplo.

Compre e Ganhe – Promoção Compre e Ganhe Motorola

7. Gratuidade

Qualquer promoção que envolva o ganho de algo de forma gratuita gera um grande apelo no consumidor. Pode ser algo do tipo “compre 1 e leve 2”, um acréscimo na quantidade do produto ou até mesmo um brinde. Nesse quesito, o frete grátis também é uma questão chave.

8. Descontos

Parece tentador comprar um produto com 30% de desconto, afinal, é um excelente negócio. Claro, quanto maior o desconto, maior essa sensação. Por isso, esse é um fator que faz com que o consumidor sinta que está tendo muita vantagem na compra.

9. Avaliações

Um dos fatores mais importantes no anúncio de um produto são as avaliações dos consumidores. Por elas, é possível saber se o produto realmente cumpre o que promete e se tem qualidade. Do mesmo modo, reclamações em sites como o Reclame Aqui podem fazer com que o consumidor decida desistir da compra.

Mean Girls Gossip GIF by Paramount Movies

10. Indicações

Mesmo quando falamos de e-commerce, o famoso “boca a boca” ainda cumpre um papel importante. Quando uma pessoa acha um produto com boas condições de venda, é comum que ela compartilhe isso com outras pessoas. Além disso, a jornada de compra pode começar pelo depoimento de alguém que já adquiriu aquele produto e gostou.

11. Entrega rápida

Quando um consumidor compra um produto, ele deseja tê-lo em mãos o mais rápido possível. Ele pode até estar comprando algo que precisa usar em poucos dias. Por isso, o tempo de entrega curto é um fator favorável, assim como um tempo longo pode levar à desistência da compra.

Veja como funciona o frete nos principais marketplaces no nosso artigo: 7 maiores marketplaces do Brasil 2022: como vender neles.

Pin on APP E-Commerce 商城

12. Interface da loja

Guiar o consumidor de forma clara e rápida para continuar a sua jornada de compra ajuda que ele continue o processo na sua loja mais facilmente. Muita burocracia ou uma lógica confusa pode fazer com que ele desista no meio da compra.

13. Apresentação

O consumidor se sente muito mais confortável para comprar um produto online a partir do momento em que ele tem informações completas a seu respeito. Por isso, além de fotos nítidas e variadas, é preciso uma descrição completa, incluindo detalhes sobre características, tamanhos, possibilidades de uso, etc. Um cliente pode deixar de comprar um notebook em uma loja, por exemplo, porque o anúncio não informa os detalhes técnicos dele.

Service Plus - Cosmeteriartesanal

14. Formas de pagamento

Grande parte das vezes, o cliente não tem dinheiro para pagar o produto à vista. Portanto, a possibilidade de dividir o pagamento no cartão de crédito é uma necessidade para fechar muitas compras, especialmente se o número de parcelas puder ser maior.

Seguro Garantia Estendida Original no Shoptime

15. Garantia e devolução

Todas as vendas online são passíveis de devolução, mas apresentar uma política clara e segura sobre como isso funciona na sua loja dá segurança para os clientes. A garantia também é um fator diferencial e, claro, quanto maior, melhor.

Person adding clothes to cart closeup for online shopping campaign

16. Qualidade

Começamos falando do preço e não poderíamos terminar sem falar da qualidade. Como dissemos, é ela quem consegue definir o que comprar dentro da faixa de preços possível. Muitos dos critérios acima refletem a qualidade, como as avaliações e as análises. No fim das contas, sempre vai fazer diferença o quão bom é o produto que você pode oferecer.

Conte com toda a ajuda necessária para o seu negócio

Esses foram os 16 fatores que influenciam na escolha do consumidor no e-commerce. Agora que você já os conhece, é hora de se organizar para dar conta de se destacar nesse mercado.

A Brasct é um escritório de contabilidade em São Paulo especializado em e-commerce. Conte com a nossa ajuda para manter as finanças da sua empresa em dia e ter condições de oferecer os melhores serviços para os seus clientes.


Shopee: nova taxa para vendedores CPF


Shopee: nova taxa para vendedores CPF





E-commerce: 16 fatores que influenciam na escolha do consumidor


E-commerce: 16 fatores que influenciam na escolha do consumidor





Dropshipping na Shopee: vale a pena fazer?


Dropshipping na Shopee: vale a pena fazer?



Controle de estoque: dicas para a gestão do seu e-commerce

Nos últimos 5 anos, o comércio on-line vem ultrapassando recordes de vendas; mas para que uma empresa seja bem sucedida no mundo digital é imprescindível fazer um controle de estoque eficiente e preciso. 

O bom gerenciamento de estoque de um e-commerce é fundamental para a satisfação dos clientes, uma vez que os produtos estão disponíveis para várias pessoas em todo o país e as vendas podem ser concretizadas a qualquer hora do dia ou da noite.

Drop shipping x Estoque regular

Regra geral, os e-commerces adotam dois tipos de estoque: Drop Shipping ou Estoque Regular. O Drop Shipping consiste em realizar as compras de acordo com a demanda; ou seja, o item é solicitado ao fornecedor depois que a compra é efetivada. Basicamente, a loja virtual não possui estoque próprio.

Já o Estoque Regular é o modelo tradicional, ou seja, a empresa adquire previamente os produtos que vão estar disponíveis na loja virtual. Para esse tipo de estoque, os desafios são os mesmos das lojas físicas: risco de perda, roubo, extravio, devoluções, espaço, conservação, limpeza, organização, etc.

Como minimizar os riscos

Existem formas de minimizar os riscos e assegurar o cumprimento de normas e processos. Nesse artigo fornecemos dicas essenciais para fazer o gerenciamento do estoque de um e-commerce e melhorar a gestão de seu negócio.

1 – Inventário de Estoque e Inventário Permanente

Apesar das nomenclaturas parecidas, esses termos possuem significados diferentes. De forma bem resumida, enquanto o primeiro consiste em uma lista de itens, o segundo é uma forma de controle do estoque; abaixo vamos explicar em detalhes.

O Inventário de Estoque consiste em uma lista completa de todos os produtos de seu estoque, devidamente identificados e classificados. Todos os itens da sua empresa podem e devem ser inventariados, desde as mercadorias que você vende até os itens de escritório. A periodicidade de realização do inventário pode ser diária, semanal, mensal, etc.

Porém, no caso de um e-commerce, o estoque das mercadorias da loja online funciona melhor se estiver constantemente atualizado. Portanto, o gerenciamento mais indicado é o que chamamos de Inventário Permanente e consiste em uma forma de controle imediata. Nesse modo de gestão, a cada operação realizada na loja virtual é feita a baixa nos itens do estoque. Isso evita, por exemplo, que dois clientes comprem o mesmo produto.

Em suma, o mais indicado para um e-commerce é fazer os dois: possuir um controle que atualiza imediatamente o estoque e realizar periodicamente o inventário de estoque presencial.

2 – Mapeamento do Fluxo

O mapeamento do fluxo de entrada e saída dos produtos fornece uma estimativa de quando será necessário repor o estoque e ajuda o gestor a desenvolver uma visão mais clara do negócio.

Por meio do mapeamento do fluxo é possível observar, por exemplo, quais produtos tem maior ou menor volume de vendas, de quanto em quanto tempo os itens devem ser repostos no estoque, os índices de devoluções por produto, etc.

É importante lembrar que, além da compra e venda de produtos, existem outras situações que afetam a entrada e saída, como devoluções, trocas ou produtos com defeitos. Ademais, é preciso observar a sazonalidade e as datas comemorativas, pois as vendas podem variar muito de acordo com a época do ano.

3 – Organização e padronização do estoque

Além da gestão e organização dos itens no ambiente online, é imprescindível organizar e padronizar os produtos no espaço físico em que estão armazenados. O melhor é definir quais serão os parâmetros para a separação dos itens, além de dividir e classificar as secções.

Uma boa ideia é atribuir códigos aos itens do estoque. O código pode ser gerado de acordo com a natureza do produto e o local onde ele está armazenado. 

Outra dica valiosa é fazer um mapa para identificação dos locais de armazenagem. Existem softwares de gestão que facilitam esses processos e são uma boa alternativa para reduzir o tempo gasto em controles manuais. 

4 – Estudo do perfil de compra

Para quem ainda está começando pode ser difícil decidir entre possuir uma grande variedade de produtos ou muitos unidades de um mesmo produto. Alguns especialistas sugerem que o mais indicado é começar com pouca variedade, pois assim você pode adquirir apenas os itens que tem mais procura e expandir sua atuação no mercado aos poucos.

Outra estratégia é realizar pesquisas. Existem ferramentas que fornecem estimativas do volume de buscas de um determinado produto na Internet. É possível recolher informações sobre a região, faixa etária, poder econômico, entre outras características do seu cliente em potencial.

Porém, se você tem um negócio funcionando, já possui acesso a grande parte das informações de que precisa. Por meio da gestão do estoque e do mapeamento do fluxo você pode traçar o perfil de compra do seu público consumidor. 

Faça uma análise detalhada e criteriosa do histórico de vendas e cruze essas informações com a situação do estoque ao longo da semana, mês ou ano. Essa é uma estratégia importante para planejar com mais assertividade os futuros lançamentos. 

5 – Auditorias

Fazer auditorias de todos os processos é fundamental para identificar e corrigir falhas. Uma dica valiosa é programar as datas dessas conferências e realizá-las sem pressa. Caso não seja possível conferir tudo que é realizado, selecione itens ou períodos aleatoriamente. Se for identificada uma falha, revise todo o processo no qual ela foi gerada.

É importante conferir os pedidos, o recebimento das mercadorias, as notas fiscais e o estoque; ou seja, além do inventário programado é preciso também auditar o processo de inventário.

6 – Fornecedores e parceiros de confiança

Escolha empresas, profissionais e fornecedores que mantêm os compromissos, cumprem prazos e entregam um serviço de qualidade. Esses fatores também são essenciais para que o abastecimento de seu estoque, a entrega dos produtos, emissão de notas fiscais e pedidos, dentre tantos outros processos importantes ocorram conforme o planejado.

Um escritório de contabilidade especializado, por exemplo, faz muito mais que a contabilidade de seu negócio. Além da contabilidade, a Brasct atua nas áreas de análise e recuperação tributária e consultoria empresarial. 


Controle de estoque: dicas para a gestão do seu e-commerce


Controle de estoque: dicas para a gestão do seu e-commerce





O Mercado de Autopeças: Como abrir uma loja com pouco dinheiro


O Mercado de Autopeças: Como abrir uma loja com pouco dinheiro





4 riscos de abrir uma empresa e como minimizá-los


4 riscos de abrir uma empresa e como minimizá-los



Já pensou em colocar sua loja na internet? 4 dicas para criar um e-commerce de autopeças!

Procurando uma forma de aumentar os lucros e encontrar mais clientes? Você já pensou em criar uma loja online? Hoje vamos aprender 4 dicas para criar um e-commerce de autopeças!

Ter um grupo de clientes apaixonados por carro e determinados a consumir produtos para incrementar seu estilo a um clique de distância é o diferencial que o seu negócio precisa.

Um e-commerce é, como o nome sugere, um comércio eletrônico. Basicamente, uma versão virtual da sua loja, podendo ser acessada a qualquer hora e de qualquer lugar.

Com a montagem de uma loja virtual para sua empresa de autopeças, além de ampliar o leque de clientes, você também ganhará lucro para sua loja física.

Um bom planejamento e uma pesquisa de mercado são válidos para este ambiente. Você pode começar, por exemplo, oferecendo um produto específico, tendo assim muito mais sucesso em vendas na sua empresa de autopeças.

Ser um diferencial no mercado de auto-peças

Isso é importante, pois diminui a concorrência com grandes lojas do segmento. Posicionar-se em uma área pouco explorada pela concorrência, desde que faça sentido e tenha potencial para venda, é essencial – evita a possibilidade de lojas maiores replicarem o seu diferencial e engolirem sua fatia do mercado.

Vamos aprender a obter sucesso com um e-commerce de autopeças?

E-commerce de sucesso

Como já mencionamos, é preciso definir uma especialidade.

Toda loja virtual de autopeças deseja se destacar no mercado, e ao se dedicar a um produto específico, os clientes que chegarão até você irão pertencer a um nicho específico.

Um bom exemplo é vender produtos eletrônicos para os carros; as empresas grandes também os vendem, porém, seu diferencial poderá ser a oferta de marcas variadas e a especialização neste produto automotivo.

Assim, uma performance mais focada é dedicada, ou seja, seu e-commerce de autopeças poderá tirar dúvidas e dar orientações mais adequadas, ganhando a confiança do público.

Acessórios para o carro

Quando falamos em especialização, podemos agir também em nichos como acessórios de luxo para a área automotiva.

Muitos colecionadores e apaixonados por carros cuidam dos seus veículos e investem a fundo para que ele seja o mais original possível.

Que tal olhar com carinho para estes clientes em potencial? Peças para fusca, peças usadas para carros de luxo, acessórios para carros antigos são algumas de bastante procura por um público específico. O intuito é fazer o cliente enxergar o quanto sua empresa tem a oferecer.

Se ele encontra tudo que precisa em seu e-commerce de autopeças e tem confiança em comprar de você, o considerando uma autoridade no assunto, o cliente não irá procurar uma outra loja de autopeças.

Mas fique de olho na concorrência, observe as ofertas, o que eles oferecem e entenda o que você também pode oferecer, utilizando o melhor custo benefício para conquistar o comprador.

Facilidade de pagamento, parcelamentos e uma estrutura clara e acessível também chamam a atenção mas, acima de tudo, a qualidade na prestação do serviço se torna essencial.

Conhecendo a concorrência

Já falamos sobre o que oferecer e como oferecer, mas o segmento automobilístico é grande e conhecer o mercado é imprescindível.

  • Primeiro, organize-se. Faça uma pesquisa de mercado, qual produto tem mais saída? Qual perfil do seu cliente? Qual o diferencial que você pode oferecer?

Essas perguntas precisam ser respondidas para que a loja comece a tomar forma.

  • Avalie seus concorrentes. Quais os pontos positivos? O que eles fazem e como isso pode agregar à sua loja? Qual o seu diferencial em relação à sua concorrência?

Ao fazer esta reflexão, coloque em prática as coisas boas e descarte as ideias ruins. A intenção é exercer a criatividade com qualidade e prestígio.

Estrutura virtual

Com todos estes dados em mãos, chega a hora de estruturar seu e-commerce de autopeças.

Planejamento é essencial em qualquer área, mas é preciso pensar em ser criativo, diferente e mostrar alta capacidade como vendedores automotivos.

Então, além do bom planejamento, será necessário selecionar uma plataforma digital; ela cuidará de todas as tarefas comuns de um negócio online.

Basicamente, existem dois tipos mais utilizados pelo e-commerce:

  • Gratuitas

A plataforma gratuita é chamada de open source. É uma ferramenta de código aberto, que pode ser modificada pelo usuário, de acordo com suas necessidades e habilidades. Existem várias disponíveis para download, mas é preciso ter cuidado, pois nem todas se adequam às normas requeridas para um negócio virtual.

  • Pagas

O empreendedor também pode escolher pagar o aluguel por uma plataforma pronta. Assim, o dono do negócio seleciona modelos prontos. A segurança é maior, mas as opções de customização são limitadas.Há, também, a opção de pagar o aluguel por uma plataforma pronta para o uso. Esse tipo de serviço costuma fornecer modelos prontos e customização limitada.

Técnicas de venda também são importantes, como:

  • Textos que engajem o cliente;
  • Uma boa apresentação do produto;
  • E pensar como cliente.

No lugar dele, eu compraria meu produto?

Com estas dicas,sua força de vontade e crescimento, sua loja de autopeças online será um sucesso.

Quer saber mais sobre o mundo das autopeças, navegue pelo nosso site e descubra mais!

Aproveite e conheça cinco passos para escolher o melhor fornecedor para sua loja de autopeças.

Para obter o equilíbrio perfeito em seu negócio, fale com a BrasCont. Nós estamos prontos para ajudá-lo.

Até a próxima!