Como declarar ações no Imposto de Renda 2022

Chega o período de declarar Imposto de Renda e quem tem ações já fica aflito. É que todas as pessoas que negociaram ações na bolsa de valores precisam fazer a Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (DIRPF) no ano seguinte. 

As informações declaradas pelo contribuinte são cruzadas com que são repassadas pelas instituições financeiras para a Receita Federal, então é importante preencher tudo corretamente para não cair na malha fina. Mas se você ainda não sabe como declarar ações, preparamos abaixo um resumo para você!

Como identificar os valores a serem declarados?

As corretoras e empresas geralmente entregam para os investidores os informes de rendimentos. Se você tem muitos ativos, o ideal é usar esses documentos para fazer uma planilha. Também tenha em mãos as suas notas de corretagem e os documentos de arrecadação de receitas federais (DARFs).

Caso não tenha recebido algum documento necessário, solicite-o às corretora ou empresa responsável.

Como apurar os lucros?

Com a planilha contendo os dados dos seus investimentos em mãos, é hora de definir quais foram os preços médios de compra e de venda de cada ativo, pois a tributação incide sobre essa média.

Para calcular o preço médio de venda, você deve saber quanto pagou pelas ações a cada vez que as adquiriu. Por exemplo, digamos que você adquiriu 100 ações a R$ 5 cada e pagou R$ 4 de corretagem e taxas. Dias depois, você adquiriu mais 50 ações a R$ 7 cada e pagou R$ 3 de corretagem e taxas. Então a conta vai ser assim:

  • Compra: (Quantidade de ações x preço de cada ação) + corretagem e taxas
  • Compra 1: (100 x R$ 5) + R$ 4 = R$ 504
  • Compra 2: (50 x R$ 7) + R$ 3 = R$ 353
  • Preço médio: Compra 1 + Compra 2
  • Preço médio: R$ 504 + R$ 353 = R$ 857

No caso do preço de venda, ao invés de somar o valor das taxas e corretagem, você deve subtrair:

  • Venda: (Quantidade de ações x preço de cada ação) – corretagem e taxas

Os cálculos devem ser feitos por mês. A partir deles, você vai descobrir quanto de lucro ou prejuízo teve mensalmente com cada ação. Faça isso de forma separada para as operações comuns e as de Day Trade, porque a tributação é diferente.

Como declarar operações tributáveis?

Apenas as operações de Day Trade e as ações que geraram mais de R$ 20 mil de lucro no ano de 2021 são tributáveis. Vamos começar vendo como declarar esses casos.

Na ficha “Renda Variável”, você deve inserir esses valores através da opção “Operações Comuns/Day Trade”. Informe individualmente o balanço mensal de cada ativo, inserindo separadamente o que for relativo a operações comuns e o que for relativo a Day Trade.

Importante: Você deve informar não só os meses com balanço positivo, mas também quando tiver havido prejuízo. Nesse caso, use o sinal negativo (-) na frente do valor para indicar que houve perda. Nos meses em que não tiver havido nenhum negociação, preencha o valor com 0 (zero).

Em cada inserção você também deve preencher os valores de Imposto de Renda retido na fonte que são cobrados pelas corretoras. Elas cobram 0,005% para operações comuns e 1% para Day Trade. Essa cobrança serve justamente para deixar registrado para a Receita qual foi o volume das transações. Por isso, esse imposto é conhecido como “dedo-duro”. 

Para saber qual é o valor de Imposto de Renda retido, consulte os informes de rendimentos. Você deve preencher esses valores em “IR fonte no mês” ou “IR fonte Day-Trade no mês” (se for Day Trade). Por fim, informe também a cada inserção o valor de imposto pago por meio dos DARFs, no campo “Imposto Pago”.

Como declarar ações isentas?

Se você teve lucro de até no máximo R$ 20 mil em alguns dos seus ativos em 2021, eles devem ser declarados na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. No campo 20 – “Ganhos líquidos em operações no mercado à vista negociadas em bolsas de valores…”, acrescente os dados relativos a cada uma das ações que se enquadram como isentas.

Além disso, os dividendos que as empresas distribuem para seus investidores também são livres de tributação. Então confira se você recebeu esses valores nos informes de rendimentos das empresas.

Se esse for o caso, na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, escolha o campo  5 – “Lucros e dividendos recebidos pelo titular e pelos dependentes” e indique o nome e o CNPJ da empresa pagadora e o valor.

Como declarar Juros de Capital Próprio?

Se você tiver Juros de Capital Próprio (JCP) para declarar, isso vai estar indicado nos seus informes de rendimentos. Esses valores devem ser declarados na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”.

Escolha o código 10  – “Juros sobre capital próprio”, informe o nome da fonte pagadora, o CNPJ e o valor. Faça isso individualmente para cada ação que gerou JCP.

Como declarar a posse das ações?

Depois, você deve declarar quais ativos possuía em 31 de dezembro de 2021, na ficha “Bens e Direitos”. Escolha o grupo 3 – “Participações Societárias” e o código 1 – “Ações (inclusive as listadas em bolsas)”. 

Informe o CNPJ da empresa, o código de negociação do ativo na bolsa, a quantidade de ações, o valor pago e as compras e vendas parciais feitas ao longo do ano. O valor em 31/12/2021 é o preço médio de compra da quantidade de ações que você possuía nessa data. É preciso repetir isso para cada ação que você tiver na sua carteira.

Conte com um bom escritório de contabilidade

Mesmo com essa explicação de como declarar ações, deu para ver que não é um tarefa muito simples, né? Então talvez você queira uma ajuda! A BRASCT é um escritório de contabilidade em São Paulo sempre preparado para te ajudar no que for preciso, seja na hora de declarar o Imposto de Renda ou em qualquer outra necessidade contábil.

Pensando em montar uma Loja de autopeças?

Você esta pensando em montar uma loja de autopeças? Então conhecer como o mercado de autopeças funciona é umas das tarefas mais importantes para o empreendedor que deseja montar uma loja.

Como em qualquer segmento de atuação profissional, para se abrir uma empresa, é extremamente necessário que o empreendedor conheça como o seu mercado funciona. E no ramo das lojas de autopeças não é diferente.

Esse mercado vem se expandindo de um modo surpreendente nos últimos anos e merece uma atenção especial de quem trabalha nesse nicho.

O investidor dessa área precisa entender como o mercado vem atuando ultimamente para que desse modo ele consiga identificar os desafios, as dificuldades e soluções para poder passar por tudo isso e ver o seu negócio crescendo.

Nesse artigo, você ficará por dentro de várias informações desse segmento, como:

  • Dados gerais;
  • Programas de incentivo que podem ajudar na hora de tomar decisões estratégicas;
  • Tipos de desempenhos das empresas do 1º e 2º níveis da cadeia, entre outros.

Esse é um mercado que ainda não foi muito explorado devido à maioria das pessoas não ter muito conhecimento sobre esse assunto e nem saberem o quanto esse tipo de investimento pode gerar lucro. E isso pode ser uma grande oportunidade para você! Se especialize e entenda como o negócio de autopeças funciona e obtenha sucesso neste segmento.

Não deixe de incluir a internet na sua empresa, pois desse modo você pode perder grandes oportunidades nessa área. Abaixo você terá algumas informações que lhe ajudarão na hora de ficar por dentro de como atua esse mercado.

Dados gerais

  • O Brasil contém cerca de 730 empresas de autopeças na indústria, sendo que 64% faturam anualmente até R$100 milhões, o que quer dizer 11% do faturamento total do setor.
  • A Argentina e os Estados Unidos são os países que mais consomem os produtos brasileiros responsáveis por até 50% da exportação.
  • Em 2014, foi investido pelo governo e pelas empresas privadas US$1,4 bilhão, tendo em vista a capacitação das companhias para que a exportação dos seus produtos fosse majorada.
  • No Brasil, os estados que mais atuam nesse segmento são: Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Fonte: Biblioteca Sebrae

Investimentos e oportunidades

Se você procurar, conseguirá encontrar vários programas do governo que instigam a compra local de peças e a montagem de veículos. Procure, invista e obtenha inúmeras oportunidades nessa área.

Os empreendedores de autopeças precisam acompanhar todo esse crescimento e tornar o mercado mais competitivo, para que desse modo todos da cadeia sejam beneficiados e as decisões sejam tomadas de modo estratégico.

Empresas do segmento e suas atuações nesse mercado

Aqui você entenderá como as empresas que estão iniciando agora agem na cadeia de fabricação das autopeças e como elas podem aprimorar as suas práticas para se tornarem mais competitivas no mercado e equiparem serviços para grandes empresas.

Analise abaixo a cadeia de fabricantes:

1º nível: São aqueles analisados como grandes players mundiais. Na maioria das vezes, eles provêem peças que contêm sistemas mais completos utilizados na montagem dos automóveis.

Além disso, eles também atuam no mercado de reposição e exportação de mercadorias.

2º nível: Esse nível equivale aquelas empresas que provisionam peças para as do 1º nível, agindo também na hora de abastecer a reposição, aliás, algumas só focam nessa área.

Essas empresas, quando não conseguem suprir a sua demanda, podem contratar outros fornecedores para auxiliar nesse processo.

O empreendedor precisa saber de tudo o que foi dito acima para que desse modo ele consiga montar sua loja de autopeças, e após montar, manter a loja funcionando à todo vapor, de modo a fazer sucesso dentro do mercado superando seus concorrentes.

Precisando de ajuda para montar um loja de autopeças? A Brascont é uma contabilidade em Osasco – SP especializada em empresas de autopeças. Conhecemos tudo desse mercado! Que tal vir tomar um café conosco e planejarmos o futuro de sua mais nova loja de sucesso, hein?

Estamos esperando por você!

Até breve…