Principais processos financeiros de uma empresa

Estudos do SEBRAE indicam que não acompanhar corretamente a evolução das receitas e despesas está entre as causas de fechamento da maior parte das empresas no Brasil. Você sabe quais são os processos financeiros que o seu negócio deve manter? Caso não saiba ou não tenha certeza, não se preocupe: a seguir, vamos falar dos 10 principais processos financeiros de uma empresa.

Money Business GIF by JustStartInvesting

1. Contas a pagar e a receber

Esse é o processo que operacionaliza os pagamentos e recebimentos da empresa, sendo controlado pela tesouraria. As contas a receber vêm das vendas realizadas. Já as contas a pagar se relacionam a dívidas com fornecedores, impostos, custos de manutenção, salários dos funcionários, serviços terceirizados, entre outros.

Money Paying GIF by JustStartInvesting

2. Fluxo de caixa

É o controle sobre os processos de entrada e saída de dinheiro. A empresa não pode simplesmente pagar e receber as contas sem colocar tudo em um caderno, planilha ou software. É necessário pôr tudo “na ponta do lápis” para ter controle sobre as finanças. 

O fluxo de caixa é o que torna possível a tomada de decisões. Ao avaliar projeções, pagamentos e recebimentos, torna-se possível apreender as necessidade de captação e aplicação de recursos. Esse processo é essencial para gerenciar o saldo disponível e garantir o capital de giro.

Money Moneybag GIF by GMT

3. Captação de recursos

De modo geral, trata-se da captação de aportes para o caixa empresarial por meio de linhas de crédito. Mas além da possibilidade de recorrer a bancos e outras organizações financeiras, também é possível injetar capital a partir de sócios ou investidores. É um processo necessário em momentos de investimento ou de crise.

Money Save GIF by JustStartInvesting

4. Aplicação de recursos

Trata-se da realização de aplicações temporárias por meio das sobras de caixa. Geralmente são feitos investimentos em títulos de renda fixa, para que o dinheiro não fique parado e renda juros até o momento do resgate. São exemplos de investimento desse tipo as notas do tesouro nacional e as letras de câmbio.

Business Calculate GIF by JustStartInvesting

5. Faturamento

É a soma de todo o valor recebido pela empresa em determinado período. Como está relacionado ao controle das vendas, também passa pela emissão de Nota Fiscal, boletos e documentos de crédito. Isso porque são esses documentos fiscais que fazem o registro do faturamento. É importante para a definição de questões tributárias.

Time Work GIF by JustStartInvesting

6. Gestão de crédito e cobrança

Esse é um processo que tem duas funções: avaliar o acesso dos clientes ao crédito e fazer as cobranças dos valores não recebidos. Esses dois lados estão ligados porque conceder crédito sempre inclui o risco de inadimplência. Então, é preciso pensar em estratégias para diminuir essa ameaça e tornar as operações rentáveis o máximo possível.

High Five Processing GIF by blooom

7. Controle de estoque

Registra e fiscaliza a entrada e saída de produtos da empresa. A nível das mercadorias, é controlado pela logística. Mas do ponto de vista do controle dos valores que entram e saem, é atribuição da área financeira/contábil. Há dois tipos de controle: o permanente, que ocorre em tempo real, e o periódico, que serve para o balanço patrimonial.

Money Success GIF by JustStartInvesting

8. Gestão patrimonial

Atualiza o valor do patrimônio empresarial. Inclui a atualização da lista dos bens da empresa. Serve para avaliar o que está danificado, o que precisa ser comprado de novo, que tipo materiais de compra periódica precisam ser reabastecidos. É importante que esses gastos sejam bem registrados, para saber como impactam sobre a receita da empresa.

Money Save GIF by JustStartInvesting

9. Gestão orçamentária

Trata-se de uma projeção e avaliação de quais serão os custos e ganhos da empresa no próximo período. Busca ajustes de custos e despesas, garantindo a otimização do negócio. Através da lista de gastos e receitas previstos é possível estimar qual será a margem de lucro. Pode ser feito a cada mês, trimestre, semestre ou ano.

singularfact data visualization singular fact data dashboard GIF

10. Demonstração de resultados

O último dos 10 principais processos financeiros de uma empresa. Nele, cruza-se receitas, custos e resultados. Com isso, determina-se de forma transparente os ganhos líquidos da empresa. Não adianta prever como serão as finanças e controlá-las diariamente sem avaliar se deram os resultados esperados. 

É feito por meio da produção de um relatório que contém as demonstrações necessárias para que os gestores possam avaliar os próximos passos da empresa.

Conte com nossa ajuda nesses processos!

Ficou claro quais são os principais processos financeiros de uma empresa? A BRASCT é o escritório de contabilidade em São Paulo com a maior experiência e capacitação para ser parceiro da sua empresa na organização deles. 

Fazemos a gestão do setor financeiro de micro e pequenas empresas prestadoras de serviços. Nosso trabalho inclui a gestão de fluxo de caixa, gestão de contas a pagar/receber, relatórios de desempenho financeiro, além de conciliação financeira e bancária.

Também lançamos as contas da empresa para pagamento por meio do internet banking, bastando ao cliente aprovar o pagamento. Nosso usuário é exclusivo para lançamentos, não realizando outras transações.

Quer saber mais sobre o nosso trabalho? Entre em contato com a gente!

Como o coronavírus afeta as finanças dos empreendedores?

Desde o início do mês as pessoas e a imprensa estão com os holofotes todos voltados para um único assunto: o novo coronavírus – COVID-19. A pandemia tem causado medo na população, com notícias sobre o crescimento rápido de infectados e mortes. Além do medo de se contaminar, existe uma outra preocupação no ar: a situação financeira das empresas. Para se ter uma ideia, o cenário tem levado o governo brasileiro a suspenderem eventos esportivos, aulas escolares, fechar restaurantes, causando um impacto negativo nas vendas dos comércio e, consequentemente, abalando a economia.

Além de afetar a economia de uma forma geral, a parte de receita também sofre, como comércio, produtos supérfluo, lojas em shopping. Os comerciantes e empreendedores precisam estar preparados para enfrentar esse obstáculo, apostando em uma reserva de caixa. Existe também a questão da cadeia de suprimento, do inglês Supply Chain, que é o gerenciamento de uma rede de negócios interligadas, ou seja, um comerciante para comercializar, por exemplo, depende de alguém que produz aquela determinada mercadoria – em que é preciso ver como está a cadeia dos fornecedores, se vão parar ou não, se estão com baixa produtividade. É muito importante estudar tudo isso, porque a tendência é piorar nos próximos meses.

Para aqueles que desejam apostar em um plano de investimento, agora eu considero um momento arriscado por conta da oscilação da economia. Aconselho realizar um planejamento seguro, pensando em uma aplicação de risco moderado, aproveitando as oportunidades do momento. E sim, elas existem. Por exemplo: o governador do estado de São Paulo, João Dória, já liberou um crédito de R$ 225 milhões com juros reduzidos, para estimular e economia em tempos de coronavírus. Então, de repente é uma boa oportunidade para reavaliar um novo empréstimo, um capital de giro, pagar alguma dívida mais antiga.

O governo também acabou de soltar algumas medidas como diferimento que nada mais é do que postergar o vencimento de alguns impostos como fundo de garantia, por exemplo, ou a parte federal do DAS. É preciso estudar a fundo tudo isso para planejar o que deve ser feito: fluxo de caixa, projeção de caixa e de venda. Também não podemos deixar de pensar no prejuízo do funcionário que eventualmente pode ter que entrar em quarentena se aparecer algum dos sintomas do coronavírus, portanto o setor de rh precisa estar alinhado
internamente, sempre pensando no bem-estar e proteção de todos. Sugiro produzir um manual de boas práticas para conversar com a equipe e verificar se alguém da equipe possui algum sintoma.

Além disso, o home office para os colaboradores é uma boa alternativa, mas é preciso aplicar uma comunicação eficaz, por meio de um diálogo claro. O gestor deve conversar com o seu time para determinar o que pode ser feito em cada caso, se será necessário fornecer computador ou internet – sempre com o intuito de diminuir o contato de pessoas na empresa e no transporte público. Porém, sabemos que não é toda atividade que dá para
fazer home office, como por exemplo uma indústria. Assim, algumas empresas estão tomando outras atitudes como mudar o horário de entrada e saída, alternar o horário do almoço, para as pessoas evitarem um pouco o horário de pico.

Já é possível perceber que o ano de 2020 se iniciou conturbado podendo afetar milhões de empreendedores no Brasil. Nesse momento, a prioridade é a saúde da população, seguindo as medidas do governo com segurança e responsabilidade. Em relação às finanças, se planeje, use o dinheiro guardado, esses dias difíceis vão passar.

5 dicas para sair do vermelho em 2020

Entra ano, sai ano e um tema que sempre continua no topo da lista de desejos de muitas pessoas é aquela vontade de economizar e sair do vermelho. Para se ter ideia, de acordo com um levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), pelo segundo ano consecutivo, 49% dos brasileiros têm como meta principal guardar dinheiro. Outras vontades que dependem de uma organização financeira também estão no ranking da lista, como: fazer uma viagem, (30%), comprar ou reformar a casa, (28%) e tirar as finanças do vermelho (27%). Mas como podemos tirar essa vontade do papel e colocá-la em prática com pequenas atitudes?

 

Sempre digo que o maior erro dos brasileiros está no medo de encarar as contas de frente. Muita gente não tem controle ou não sabe o quanto gasta por mês, então não consegue definir sua renda mensal fixa, gastos com refeição, transporte, saúde, aluguel, entre outros custos. Já vi até pessoas que têm até medo de abrir a conta corrente no aplicativo do celular para ver o saldo ou se assusta quando chega o extrato do banco. É importante ressaltar que precisamos encarar a realidade e manter o equilíbrio nos gastos. Você pode, sem problemas, comprar a calça que tanto quer, mas você deve cortar outros gastos daquele mês e assim por diante. 

 

Para alcançar esse equilíbrio e manter a sua saúde financeira em dia existem algumas dicas simples que podem parecer clichê, mas não são levadas a sério na maioria das vezes e, por isso, estamos entre os países mais endividados do mundo. Segundo o professor do Insper Ricardo Rocha, com dados do CountryMeters e Serasa Experian, o número de endividados no Brasil formariam uma nação maior do que a Colômbia, quase duas vezes o Perú. Para ajudar a driblar os problemas com falta de organização financeira, listo abaixo cinco passos para sair do vermelho em 2020: 

 

1 – Comece o quanto antes: não espere pelo melhor aplicativo ou pela melhor planilha de excel, você pode iniciar de uma maneira mais rápida e simples. Minha dica é pegar um bloquinho de notas e escrever o que você tem de contas para este mês e para os meses seguintes, até o final do ano. Não se esqueça de colocar todas as parcelas que estão em aberto. Outra dica é, para quem tem dívidas, agora é uma boa hora para negociá-las, já que a taxa Selic caiu bastante. 

 

2 – Defina se você ‘quer’ ou se você ‘precisa’: existe uma diferença muito grande nas compras necessárias e nas compras que são para nos agradar. Por exemplo: é preciso deixar uma parte do salário para as refeições, mas você não precisa ir ao restaurante toda semana. Leve marmita ao trabalho, deixe de comprar aquele cafezinho de todos os dias, ou aquele doce após o almoço. Você verá, pequenas atitudes tem um grande resultado no fim do mês. Isso não quer dizer que precisamos nos privar de luxos, mas novamente tudo é uma questão de equilíbrio.

 

3 – Anote seus gastos: pode até ser chato, mas ao anotar cada compra é possível ter um panorama geral de como pequenos custos podem se tornar uma bola de neve no fim do mês. O primeiro passo é anotar tudo o que gasta, seja aquele cafezinho, almoço ou mesmo uma conta maior, como a fatura de um cartão de crédito, por exemplo. Não é preciso nenhuma planilha, você pode pegar um caderninho e ir anotando diariamente seus custos, entradas e retiradas.

 

4 – Guarde uma parte do seu salário: depois de anotar todos seus gastos fixos, se proponha a guardar uma parte do seu salário todo mês, seja 5%, 10% ou até 25%, não importa a quantia, apenas guarde. É importante se propor todo mês a não mexer em uma parte dessa renda que entra, aconselho sempre retirar esse dinheiro logo que o salário cai, depois separar o necessário para os gastos fixos, sem deixar de lado, claro, lazer e alguns mimos, afinal, ninguém é de ferro.

5 – O cartão de crédito pode ser vilão ou até o mocinho das finanças:  para ter cartão de crédito é preciso disciplina.  Na verdade, é uma opção que funciona muito bem, mas é necessário ter  conhecimento sobre o quanto você pode gastar e saber que o segredo é não pagar o mínimo, e sim a fatura cheia. Se você paga o mínimo acaba lidando com um juros absurdo. Caso a pessoa não seja comprometida em pagar a tarifa em dia e não consiga gastar dentro do seu limite, é melhor abrir mão do cartão e se programar para pagar a vista, ao invés de criar parcelas. Eu, por exemplo, só uso o cartão de crédito, já uso pontos, faço milhas,  porque assim, pago menos taxas.

De que forma o setor de contabilidade está relacionado com o financeiro das empresas?

Você conhece a importância da sincronia entre os setores de contabilidade e financeiro das empresas? Tire suas dúvidas em nosso artigo.

A importância do setor de contabilidade

O setor de contabilidade é indispensável na gestão financeira do negócio. Mais do que o cumprimento de obrigações legais, como o pagamento de taxas e impostos, é a contabilidade que permitirá o conhecimento do capital de giro, custos gerais, giro do estoque, além de outras informações essenciais para um planejamento financeiro efetivo.

Ainda há uma parcela de pequenos empresários que não consideram o setor de contabilidade como parte imprescindível da rotina empresarial. O principal papel da contabilidade é a criação de estratégias focadas em resultados que permitirão o crescimento e a manutenção da empresa.

As funções básicas do setor de contabilidade no financeiro das empresas

O setor de contabilidade vai zelar pela saúde financeira da empresa, por meio de suas funções, desde a abertura até o fechamento do negócio. A seguir, foram listadas algumas atribuições:

• Controle tributário;

• Escrituração de fatos contábeis;

• Balanços patrimoniais e balancetes contábeis;

• Obrigações acessórias;

• Acompanhamento de documentações.

Impacto do setor de contabilidade no setor financeiro das empresas

É inegável dizer que uma gestão financeira bem-sucedida depende da sincronização com o setor de contabilidade. Essa harmonia promove o que os gestores precisam para alavancar o negócio: a tomada de decisões assertivas.

Essas decisões dependem de dados confiáveis e sólidos que são fornecidos pelo setor de contabilidade. Outro ponto a ser observado é a gestão tributária, algo complexo em nosso país, e que deverá receber o suporte de profissionais de confiança para que o caixa da empresa não seja comprometido.

Descubra 4 motivos para contratar um serviço de contabilidade especializada para o seu negócio.

É o profissional de contabilidade que vai aferir qual o regime tributário em que a empresa se encaixa, gerando economia, além de eliminar atrasos no recolhimento de impostos e manter a empresa legalizada.

O resultado desse trabalho é uma gestão financeira adequada, com um melhor uso dos recursos destinados ao pagamento de impostos. Além disso, o contador vai manter-se sempre atualizado, garantindo que não haja surpresas quando o assunto é o pagamento de tributos, evitando multas. É válido lembrar que as leis tributárias são atualizadas com certa frequência.

É por meio da capacidade de mensuração do setor de contabilidade e completo domínio sobre a legislação que será possível trazer mais precisão para a situação financeira da empresa, promovendo a tomada de decisões assertivas.

Gestão contábil da empresa

Para revolucionar o setor financeiro da empresa, é necessário contar com um setor de contabilidade sólido. A contabilidade se divide entre interna e externa, sendo a primeira responsável por levar os dados contábeis a conhecimento de todos os colaboradores envolvidos no processo e a segunda, responsável pela organização dos demonstrativos financeiros.

Embora o resultado final seja de uma contabilidade única, é essa divisão que vai simplificar a rotina do setor financeiro, de forma que a seleção de informações seja mais ágil e precisa, trazendo uma maior fluidez nas finanças da empresa.

Entre em contato para ter uma assessoria contábil que faz a diferença.