Como fazer o Fluxo de Caixa de um restaurante?

O controle do Fluxo de Caixa é essencial para qualquer empresa que deseja manter-se financeiramente saudável. A rotina de um restaurante já é por si só agitada e imprevisível. Há dias, ou até mesmo semanas, com mais ou menos movimento. Isto significa que as entradas e saídas financeiras podem variar muito ao longo do mês.

Muitas das questões que vamos esclarecer neste texto aplicam-se também à lanchonetes, bares, cafeterias, entre outros. O escritório de contabilidade é um grande parceiro nesse processo, pois ajuda os gestores a apurar e classificar corretamente cada uma das receitas e despesas, calcular os impostos e fazer os controles contábeis; além de instruir acerca da conciliação bancária, indicar ferramentas de gestão e identificar formas de otimizar a movimentação financeira.

O que deve ser incluído no Fluxo de Caixa de um restaurante? 

Todas as movimentações financeiras da empresa devem estar descritas no Fluxo de Caixa. Isso inclui receitas, despesas, contas a pagar, contas a receber, empréstimos, reembolsos, rendimentos e desvalorizações de investimentos, entre outros.

No Fluxo de Caixa de um restaurante as despesas precisam estar todas relacionadas, sejam elas fixas ou variáveis; ou seja, precisam ser lançadas as contas de aluguel, energia elétrica, folha de pagamento, além de despesas com fornecedores, alimentos, empréstimos bancários e todas as demais.

Que ferramenta utilizar para fazer o Fluxo de Caixa?

Caso o restaurante ou a lanchonete não possuam um software para a gestão financeira, o fluxo de caixa pode ser feito em uma planilha do Excel. Desde que todas as contas sejam cuidadosamente lançadas, se possível diariamente, o Fluxo de Caixa pode ser feito em uma planilha no computador.

Em uma planilha do Excel o trabalho precisará ser feito manualmente. As linhas podem ser utilizadas para especificar as entradas e saídas. Nas primeiras linhas, pode-se categorizar as vendas pela forma de pagamento (dinheiro, cartão de crédito, cartão de débito, pagamento online) e, em seguida, formatar uma célula para apresentar a soma das linhas anteriores em “Total das Entradas”. 

As despesas também precisarão ser especificadas e categorizadas nas linhas subsequentes. Da mesma forma como foi feito para as entradas, ao final, é preciso apresentar o “Total das Saídas”. Além disso, a planilha precisará apresentar o saldo anterior, o resultado das entradas subtraído das saídas, o saldo acumulado, empréstimos e o saldo final. 

Para uma visão mais clara da gestão financeira o mais indicado é incluir no Fluxo de Caixa do restaurante as entradas e saídas previstas e o realizadas de cada mês. Dessa forma, é mais fácil perceber quais contas precisam ser ajustadas.

No entanto, fazer o Fluxo de Caixa em uma planilha do Excel pode limitar as possibilidades de análise. O mais indicado é requerer o auxílio de um bom escritório de contabilidade que possua um software de gestão próprio. Dessa forma, fica muito mais fácil e rápido fazer não só a gestão financeira, como toda a contabilidade da empresa. Além disso, um software adequado pode gerar relatórios financeiros e contábeis adequados às necessidades do restaurante. 

Como categorizar receitas e despesas no Fluxo de Caixa?

A categorização das entradas e saídas do Fluxo de Caixa é muito importante para que o gestor tenha uma visão macro da empresa. 

No entanto, é necessário ter atenção, pois ao criar muitas categorias a apuração dos dados fica complexa e a leitura comprometida. 

O ideal é que o Fluxo de Caixa permita ao administrador ter uma visão clara dos números e da realidade financeira da empresa. Os tributos por exemplo podem ser classificados em duas categoria, uma para os tributos do Simples Nacional e outra para os demais tributos. 

Outra indicação valiosa é não utilizar a categoria “Outros”, pois os gastos e receitas não previstos passam a ser registrados nessa categoria e assim os relatórios ficam imprecisos, confusos e divergentes.

Quais são as vantagens de fazer um Fluxo de Caixa detalhado para bares ou restaurantes?

Além do controle financeiro e de uma visão clara da situação real da empresa, um Fluxo de Caixa bem feito é essencial para a tomada de decisões administrativas. Ao acompanhar regularmente e com precisão o movimento financeiro do restaurante, os gestores podem antever problemas no orçamento e encontrar soluções mais rapidamente.

Ademais, o Fluxo de Caixa permite que o restaurante possa ajustar as datas de pagamentos das contas para aquelas que são mais convenientes; cobrar clientes inadimplentes no prazo adequado para não comprometer os compromissos financeiros; fazer projeções de receitas e despesas para os próximos períodos e ter solidez para fazer investimentos e melhorias.

Um escritório de contabilidade de confiança orienta seus clientes na elaboração e manutenção de um Fluxo de Caixa apurado e preciso. Manter a saúde financeira de um restaurante é uma tarefa muito mais simples quando se pode contar com uma boa contabilidade.

Como economizar na contratação de funcionários?

Nos dias atuais a contratação de funcionários é um processo que demanda uma estratégia muito bem elaborada.

Isso porque em outro momento as empresas realizavam a divulgação de suas vagas em anúncios nos jornais e apenas aguardavam os melhores candidatos surgir, porém, hoje isso não acontece mais. E é por esse motivo que a contratação de um funcionário deve ser realizada de forma estratégica.

Criamos este artigo “Como economizar na contratação de funcionários?” para te ajudar a criar as melhores estratégias no momento de contratar e selecionar um novo colaborador para sua organização.

Vamos lá!

Cultura Organizacional da empresa

como definir a cultura organizacional

Quando falamos em contratação e seleção não podemos deixar de citar a cultura organizacional.

Você sabe o que é a cultura organizacional e qual o impacto dela na sua empresa e como ela influencia no momento da contratação e seleção de novos colaboradores?

Bom, nos dias atuais já é de conhecimento de todos que quando uma pessoa é convidada a participar de um processo seletivo ou quando busca uma vaga em uma determinada organização, ela faz uma pesquisa sobre a empresa, com o intuito de conhecer seus processos, isso acontece na grande maioria dos casos.

E o clima organizacional é um dos itens com maior avaliação, afinal, ninguém quer trabalhar em uma empresa com um clima organizacional ruim, não é mesmo?

A cultura organizacional nada mais é que um recurso estratégico muito utilizado como diferencial competitivo pelos candidatos, desta maneira, é importante entender qual o posicionamento da organização e como ela se difere das demais empresas.

Isso significa que quando falamos em cultura organizacional estamos nos referindo em como ela trata seus funcionários, clientes e o próprio negócio em que atua.

Também vale ressaltar que um salário atraente é importante, mas, não é apenas isso que irá atrair talentos e mantê-los na sua empresa.

Uma cultura organizacional positiva ajuda e muita no momento de atrair talentos, quando a empresa tem uma cultura que atrai as pessoas, consequentemente, ela já têm uma redução de custos.

Isso porque, em um ambiente de trabalho alinhado com os seus valores pessoais, se torna um ambiente muito mais propício a uma alta produtividade e se manter motivado.

Para melhor entendimento todas as empresas precisam optar pela cultura organizacional positiva, pois ela diz respeito às crenças, hábitos, valores e comportamentos que são compartilhados no ambiente de trabalho, desta maneira, definindo como uma empresa lida com seus negócios.

Quando uma empresa aposta na cultura organizacional ela não ganha apenas redução de custos no momento da contratação e seleção, mas ela é capaz de se destacar entre as demais empresas do mesmo segmento, passando a ser valorizada por colaboradores e clientes.

Então fique atento e não deixe de realizar as pesquisas de clima organizacional, pois ela ajuda a diminuir os índices de turnover e, consequentemente, economiza tempo e recursos gastos com recrutamento e seleção.

Rede de contatos como forma de economizar

Quando um gestor utiliza como estratégia uma rede de contatos para a contratação e seleção de novos funcionários a empresa só tem a ganhar.

Isso porque utilizando o famoso networking as chances de receber indicações são muito maiores e você economiza, uma vez que não precisará gastar dinheiro divulgando em sites especializados ou anúncios em jornais.

Porém, esse método requer atenção!

No momento da seleção é importante não tratar as indicações com privilégios. Todos os candidatos, sejam indicados, ou não devem receber um tratamento justo e passar pelas mesmas etapas do processo seletivo.

Consultoria ou plataformas de contratação?

Consultoria de Recursos Humanos

Este é um dos temas que deixam os empresários muito confusos e indecisos em qual das opções é a mais eficaz.

Porém, isso depende muito do que você quer e os objetivos que tem em mente.

De todo modo, é importante entender que se a contratação deve ser feita de maneira estratégica e com redução de gastos.

Mesmo que você deseje economizar no processo de contratação de novos funcionários é importante ficar claro que esse processo não pode jamais ser feito por amadores ou pessoas sem experiência, isso porque, uma contratação errada ou equivocada poderá causar muito mais impactos financeiros do que a própria contratação em si.

Consultoria de RH

Se você deseja a ajuda de um profissional especializado para realizar o seu processo de contratação a consultoria de RH tem benefícios interessantes, além de contar com ferramentas eficazes, como as entrevistas por competência e os processos customizados a cada vaga em aberto.

Porém, vale destacar que se optar por uma consultoria de RH o processo acaba tendo um valor um pouco mais elevado.

Plataformas de contratação

Hoje existem muitas empresas que prestam serviços disponibilizando aos seus usuários plataformas de contratação, que utilizam de forma aliada a gestão de pessoas com as mais avançadas tecnologias para auxiliar as empresas que precisam contratar de forma mais assertiva.

Essas plataformas nada mais são softwares que otimizam o processo de contratação e realizam a triagem de maneira prática.

Economize apostando em dinâmicas em grupo

Quando se trata em dinâmicas de grupo é interessante que seja feita de forma planejada.

A dinâmica em grupo possibilita entender como cada candidato trata e interage com outras pessoas, como é a sua comunicação, como ele lida com dificuldades e possíveis tensões e como ele interpreta as instruções.

Sendo muito mais fácil dispensar os candidatos que não são compatíveis com a vaga e focar nos que são compatíveis.

Essa é uma maneira de economizar tempo e de certo modo economizar.

Conclusão

Neste artigo vimos maneiras de economizar usando recursos que muitas vezes já temos disponíveis no dia-a-dia, como no caso do clima organizacional e rede de contatos.

Mas, vale lembrar como citamos acima que o processo de contratação de novos funcionários deve ser feito de forma estratégica e com cautela, com auxílio de profissionais capacitados, só assim será possível garantir que a contratação será assertiva e não causará impactos indesejados, já que, um processo de contratação indevido poderá ser muito mais custoso do que a contratação por si só.

Nós da Brasct estamos constantemente compartilhando conteúdos ricos em informações para ajudar você e outros empreendedores a trilhar sempre o melhor caminho.

Cadastre-se abaixo para receber novidades diretamente no seu e-mail!



 

Recuperação de impostos para empresas do Simples Nacional

Se você tem uma Pequena Empresa enquadrada no regime tributário do Simples Nacional, é bem possível que ela esteja contribuindo indevidamente com impostos como o PIS e o COFINS, pelas características inerentes ao DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional.

Esses impostos, pagos indevidamente sem que ao menos esse fato seja notado, podem representar um importante percentual do valor de venda de seus produtos, que acaba saindo do seu lucro.

Neste artigo, nós vamos explicar como isso acontece, o que pode ser feito para resolver o problema e, principalmente, como é possível recuperar todos os valores que já foram pagos indevidamente ao longo dos anos.

É isso mesmo. A sua empresa pode recuperar todos esses impostos que já foram pagos!

Continue essa leitura para saber mais a respeito de que tipos de produtos podem ser atingidos por essa cobrança indevida, como é possível identifica-los, recuperar os valores pagos e deixar, enfim, de perder esses valores na hora de pagar os impostos pelo Simples Nacional.

O pagamento de tributos pelo Simples Nacional

As Pequenas Empresas, que possuem um faturamento anual de até 4,8 milhões de reais, e por isso podem ser enquadradas no regime tributário Simples Nacional, têm a vantagem de pagar tributos menores, através de uma única via de recolhimento.

Porém, por trás da simplicidade e praticidade do DAS, que é o documento de arrecadação do Simples, pode haver a cobrança duplicada de alguns impostos, cujos pagamentos podem não ser uma responsabilidade da sua empresa.

Quer saber como isso acontece?

Para certos tipos de produtos, que são chamados de Monofásicos, alguns tributos já são pagos no início da cadeia produtiva. Isso significa que esses impostos já foram recolhidos antes mesmo do produto chegar à sua empresa. Então, ao aplicar o DAS, esses impostos serão pagos novamente pela sua empresa, de forma indevida.

Vamos explicar melhor a respeito dos Produtos Monofásicos e como funciona o recolhimento do PIS e do COFINS para eles, logo a seguir.

O que são e quais são os Produtos Monofásicos?

Agora, nós vamos tentar entender melhor e identificar se a sua empresa está pagando impostos indevidamente tendo, portanto, o direito à recuperação desses valores pagos.

Os chamados Produtos Monofásicos são aqueles em que há a incidência monofásica de tributação do PIS e do COFINS, ou seja, apenas no início da cadeia produtiva. No próximo tópico explicaremos melhor como isso funciona, mas por enquanto, vamos falar um pouco a respeito desses produtos.

Elaborar uma lista exata de todos eles, é realmente inviável, sendo a identificação correta dos mesmos, para efeitos de tributação, um trabalho recomendado para serviços de contabilidade especializados.

Porém, podemos listar alguns tipos desses produtos que são considerados monofásicos para efeito de tributação, de onde normalmente se consegue a recuperação dos créditos referentes aos pagamentos realizados de forma indevida. Veja alguns deles na lista a seguir:

  • Autopeças
  • Motopeças
  • Produtos farmacêuticos
  • Produtos de perfumaria
  • Produtos de higiene pessoal
  • Cosméticos
  • Água mineral
  • Cervejas
  • Refrigerantes
  • Pneus
  • Máquinas
  • Veículos
  • Combustíveis

Produtos comercializados em mercados, bares e restaurantes podem também se enquadrar na tributação monofásica.

Se a sua empresa está no Simples, revende ou distribui tais produtos, o pagamento de PIS e de COFINS relacionados a eles não são de sua responsabilidade. Mas podem estar sendo recolhidos da mesma forma pelo DAS.

Quem paga o PIS e o COFINS sobre Produtos Monofásicos

A legislação determina que o PIS e o COFINS referentes aos produtos com tributação monofásica incidam apenas na primeira fase da cadeia produtiva, ou seja, seu pagamento é de responsabilidade do fabricante ou do importador desses produtos.

Todas as demais fases dessa cadeia ficam desoneradas de tais tributos, que é o caso da empresa que os revende para o consumidor final ou mesmo para outras empresas.

Porém, no preenchimento do DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional, não há como identificar essa tributação dupla ou indevida, justamente porque o Simples unifica os tributos e alíquotas para facilitar a vida da Pequena Empresa, no que se refere ao recolhimento.

Dessa forma, pode-se dizer que toda pequena empresa enquadrada no Simples, e que revenda um ou mais produtos com tributação monofásica, paga tributos indevidos e podem, por isso, recuperar esses valores.

Como deixar de pagar esses tributos?

A sua empresa poderá recuperar os valores desses tributos que já foram pagos, mas pode também deixar de contribuir indevidamente.

Para deixar de pagar os tributos de produtos monofásicos de forma indevida, é necessário, em primeiro lugar, identifica-los por seus devidos códigos através da NCM – Nomenclatura Comum Mercosul.

A partir daí será necessário indicar a receita gerada por cada um desses produtos de forma separada do cálculo do Simples Nacional. Não é uma tarefa simples nem fácil. E certamente se faz necessária a contratação de consultoria especializada.

Recuperação de impostos para empresas do Simples Nacional, como fazer?

Agora que você tem informações a respeito dos produtos monofásicos, de como funciona a sua tributação e sobre como é possível pagar PIS e COFINS referentes a eles de maneira indevida através do DAS do Simples Nacional, você deve estar se perguntando o quanto a sua empresa já perdeu ao longo dos anos, com o pagamento de impostos indevidos.

Sua pequena empresa poderá, a partir de agora, contar com uma consultoria especializada para declarar esses produtos individualmente, deixando de pagar impostos duplicados, mas e todo o lucro que a sua empresa perdeu ao longo dos anos?

Felizmente, é possível recuperar esse dinheiro perdido!

A Recuperação de Crédito Tributário é uma prática que permite o levantamento de todos os tributos recolhidos indevidamente nos últimos 5 anos, e retorna para empresa na forma de créditos para as próximas arrecadações.

Os profissionais especializados da Brasct Contabilidade ajudam a sua empresa enquadrada no Simples a recuperar esses créditos, através de um diagnóstico que irá identificar em quais produtos houve essa arrecadação indébita no período.

E se você pensa que o seu negócio talvez não possa arcar com os custos desse serviço especializado, a Brasct cobra apenas quando a recuperação é realizada com êxito.

Entre em contato para recuperar o que poderia ter sido um importante investimento para a sua empresa, mas acabou sendo desperdiçado no pagamento de impostos que não eram devidos.

 

Bares e restaurantes precisam alvará de funcionamento?

Você está pensando em abrir o seu restaurante e já está preocupado com todos os custos e obrigações de alvarás para começar?

Calma este artigo vai te dar uma mãozinha e te acalmar um pouco, pois, você pode se beneficiar da nova regra onde restaurantes novos não precisarão de alvará de funcionamento provisório, mas, há exceções, então leia este artigo até o final para não ficar nenhuma dúvida ok.

O que é alvará de funcionamento para restaurante?

O alvará de funcionamento para restaurante é uma permissão cedida pela prefeitura de cada município, para que a empresa possa de fato começar suas operações.

Quando uma empresa é constituída pela contabilidade, automaticamente o contador faz a solicitação do alvará de funcionamento e este alvará é entregue ao estabelecimento. Alguns estabelecimentos até deixam fixado na parede geralmente próximo ao balcão de atendimento para que em uma possível fiscalização o fiscal possa ver o alvará.

Quando o alvará é solicitado às prefeituras emitem uma permissão de funcionamento temporária com efeito de 180 dias até que seja feito a primeira fiscalização para ver se está tudo dentro dos conformes, e caso a empresa inicie suas atividades sem este documento ficará sujeita a penalidades de multas e se não adequar a situação poderá ter o seu estabelecimento fechado.

Alvará de funcionamento tem validade?

Sim. O alvará de funcionamento precisa ser renovado anualmente, por diversos fatores, um deles é fazer com que o estabelecimento se mantenha adequado para funcionamento, isso quer dizer, que precisa ter boas condições para atender ao público, não oferecer perigo para saúde ou riscos para o meio ambiente.

Restaurantes precisam de alvará de funcionamento?

A partir de Junho de 2019 o Governo emitiu a resolução nª 51 de 11/06/2019 onde possibilita que diversos segmentos possam iniciar suas atividades sem a necessidade do alvará de funcionamento temporário.

Entre os segmentos beneficiados estão contemplados restaurantes que não ultrapassem uma área superior a 200m² com no máximo 3 pavilhões e não pode contar com subsolo, outro item importante é a lotação máxima de até 100 pessoas, ou seja, irá beneficiar pequenos e médios restaurantes,

Porém a isenção do alvará de funcionamento temporário não exime a empresa do alvará de funcionamento permanente, este deverá continuar sendo solicitado pelo escritório contábil já na constituição da empresa.

Esse benefício do governo tem como objetivo desburocratizar o empreendedorismo no Brasil e beneficiar empresas tipo startups.

Outros documentos que permanecem obrigatórios

Permanece a obrigatoriedade a o cadastro da pessoa jurídica com registro e emissão de CNPJ, alvará da vigilância sanitária e bombeiros, ou seja, aquela empresa que iniciar suas atividades sem esses principais documentos continua passivo de multas e fechamento do seu estabelecimento.

Vale lembrar a importância de você ser assessorado por um escritório contábil especializado em restaurantes (bares e lanchonetes se for o seu caso), dessa forma a empresa contábil estará preparada para te orientar de todos os benefícios que você pode usufruir desde a isenção do alvará de funcionamento temporário conforme mencionado neste artigo, como também em questões tributárias.

Regras municipais

Um ponto muito importante são as regras que podem surgir de acordo com cada município, como a regra foi criada para empreendimentos de baixo risco, porém não foram de fato esclarecidos todos os tipos de empreendimentos considerados como baixo risco, o governo decidiu que os municípios possam determinar e classificar o que seria alto, médio e baixo risco.

Porém na lista de 287 atividades que o governo já liberou os restaurantes, bares e lanchonetes de pequeno porte já foram beneficiados com a isenção do alvará de funcionamento provisório.

Este é mais um ponto que a contabilidade poderá esclarecer para o empreendedor no momento da abertura da sua empresa de acordo com o município onde serão realizadas as atividades.

CADASTRE-SE ABAIXO E RECEBA NOSSA PROPOSTA PARA
ABERTURA DE RESTAURANTES



 

 

Atenção ao Crescimento

A partir do momento que você já possuir o CNPJ, alvará da vigilância sanitária e dos bombeiros será o momento de iniciar as atividades e quando isso acontecer você precisará se atentar a outros detalhes importantes que será a divulgação e crescimento do seu negócio.

Indicamos os artigos abaixo para que você tenha uma visão de como é possível você aumentar o seu faturamento, atrair clientes e manter sempre um cardápio atrativo, dessa forma será possível que o seu restaurante consiga crescer constantemente utilizando diversas ferramentas.

COMO AUMENTAR O FATURAMENTO DO SEU RESTAURANTE

QUAL A IMPORTÂNCIA DE TREINAR SUA EQUIPE

REDUÇÃO TRIBUTÁRIA PARA RESTAURANTES

Se você deseja abrir o seu restaurante em São Paulo de forma segura, com assessoria de uma contabilidade especializada entre em contato com os nossos consultores, basta clicar no botão abaixo.

 

Quero abrir meu restaurante de forma segura!

Qual a importância de treinar a equipe de um restaurante?

Hoje muitos empresários buscam uma excelência no atendimento do seu estabelecimento para que possam fazer a retenção de clientes e de forma indireta realizar o marketing boca-a-boca o que faz com que o seu investimento com marketing seja inferior quando comparado com uma empresa com atendimento de uma qualidade não tão alta.

Neste artigo vamos falar sobre a importância de treinar a sua equipe e o impacto positivo que isso pode oferecer para as empresas de alimentação sejam eles restaurantes, lanchonetes ou bares noturnos.

O que fazer ao abrir um restaurante?

 

Qual a importância de treinar a equipe de um restaurante

 

Quando uma empresa inicia suas atividades uma das principais coisas que tem que ser realizado é o reconhecimento da sua marca.

Esse reconhecimento acontece de diversas formas seja visual (impressos, revistas, outdoors), seja audiovisual (vídeos youtube, Instagram, televisão) ou auditiva (rádio), assim que essa empresa consegue impactar o seu público alvo chega o momento de fazer a retenção desse público, e aí a grande pergunta: Como fazer a retenção do seu público alvo?

Existem algumas técnicas para retenção do público alvo, umas mais eficientes outras um pouco menos, mas a melhor técnica e infalível é o atendimento que a pessoa irá receber ao ir até o estabelecimento.

Imagine que você é convidado para ir em uma lanchonete (pode ser barzinho ou restaurantes também), geralmente as pessoas irão olhar as avaliações deste estabelecimento nas mídias digitais, quantas estrelas esse estabelecimento ganhou no Facebook por exemplo ou no Google meu negócio.

exemplo: pesquisa Google meu negócio sobre o restaurante Outback Shopping Jd Sul


Quando as pessoas fazem esse tipo de pesquisas elas buscam encontrar uma boa avaliação, e desta forma criam expectativas sobre o local, perguntam aos amigos e parentes se já foram e caso sim e se retornaria ao estabelecimento, esse tipo de feedback tem um peso muito grande na tomada de decisão sobre o local.

Agora, imagine o seu estabelecimento ficar conhecido como um lugar com mal atendimento, onde os colaboradores não possuem um padrão de atendimento nem oferecem um suporte adequado para que o cliente saia satisfeito do local, tanto com a alimentação quanto com o atendimento tudo deve ser levado em consideração.

Fonte: revistapegn.globo.com

Acima vemos um caso diferenciado onde o empresário optou por “maltratar os seus clientes o que fez com que o empresário conseguisse dobrar o seu faturamento, porém convenhamos que essa estratégia não se aplica em todas as regiões.

Como treinar sua equipe para manter um bom atendimento?

Quando você empresário decide por divulgar o seu estabelecimento como mencionado acima, você também precisa pensar no atendimento que irá oferecer para o seu colaborador desde a recepção desse cliente, atendimento, pós atendimento (hora de pagar) e o pós-vendas ou seja, como impactar esse cliente de todas as formas?

Uma das principais dicas que damos é INVISTA NO TREINAMENTO DA SUA EQUIPE, quando o empresário investe no treinamento da equipe ele nunca deverá pensar apenas no custo que isso trará para a empresa dele, mas pensar nos benefícios que irão causar.

“Não tenha medo de investir em um funcionário e ele sair, tenha medo de investir e ele ficar”

Essa frase mostra que, quando o colaborador é bom ele sempre irá buscar melhorar a sua própria performance, e sim ele vai buscar novos horizontes, novos desafios, crescer profissionalmente, e aquele colaborador que não for tão bom ficar na empresa você terá muito mais “custos” para mantê-lo motivado.

Tipos de treinamento que você pode oferecer para sua equipe

Um dos treinamentos que muitos empresários ignoram é o treinamento sobre o cardápio, é muito importante que o colaborador conheça o que está vendendo e também tenham a experiência de provar para que possam transmitir para o cliente maior segurança sobre o que estão ofertando.

Atendimento diferenciado

Treinar sua equipe para manter um padrão no atendimento é essencial, você já deve ter percebido que restaurantes como Apple Bee’s, Paris 6, Folha de Uva entre outros seguem um padrão no atendimento de todos os colaboradores, desde o momento de recepcionar o cliente até o momento de se despedir, alguns um pouco mais despojados, outros um pouco mais formais, o segredo é você identificar o perfil do seu público alvo e definir o nível de cordialidade que será oferecido para a experiência do seu cliente.

Perfil adequado do colaborador

Não são todos os colaboradores que possuem o mesmo perfil isso é algo que o empresário precisa estar preparado porque dificilmente conseguirá diversos colaboradores com o mesmo perfil.

Então o que pode ser feito é contratar um treinador externo, em alguns casos um Psicólogo especializado em identificação de perfil, outras vezes um comediante para deixar a equipe mais “solta” e outras vezes um palestrante motivacional, para que as pessoas sintam a energia que você gostaria de passar para a equipe.

Terá momentos que você vai perceber que uma determinada pessoa se identifica muito mais com a praça de mesas do que com a ilha do bar, ou até mesmo com o caixa, então você precisa ficar atento a todos esses detalhes para que seja possível colocar cada colaborador onde melhor conseguirá desenvolver o seu perfil.

No livro “Descubra seus pontos fortes dos autores Don Clifton, Tom Rath” eles dizem “Foque no ponto que o seu colaborador tem de mais forte”, quando você foca as energias e treinamentos da empresa no ponto forte de cada colaborador os resultados são expressivamente maiores, ao contrário de quando o empresário fica tentando forçar a melhoria do colaborador em pontos mais fracos.

Consegue compreender a importância de treinar sua equipe? Quando você treina sua equipe você além de conseguir reter o cliente, conseguir boas avaliações e indicações você ainda mantém uma boa rotatividade de clientes no seu estabelecimento.

Não podemos deixar de indicar que para manter o seu estabelecimento preparado não basta apenas treinar a equipe e ter cardápios sempre atualizados, mas é muito importante também que você tenha as documentações e alvarás em dia para evitar qualquer frustração durante o horário de atendimento.

Nós da Brascont somos especialistas em Restaurantes, bares e lanchonetes, atuamos desde a entrega da contabilidade mensal até serviços de parametrização de sistemas, análises tributárias e possibilidades de reduções de folha de pagamento, entre em contato com a nossa equipe caso você também queira melhorar os resultados do seu estabelecimento.

 

Fale com a brasct por whatsApp

Redução tributária para restaurantes

Você que um empreendedor do ramo alimentício sabe como pode economizar na questão tributária do seu negócio?

Não?

Acompanhe o conteúdo abaixo, ele pode ajudar a você a diminuir a sua tributação e garantir maior rentabilidade ao seu negócio.

Tipos de tributação

Ao abrir uma empresa atualmente no Brasil podemos contar com três tipos de tributação:

  • Lucro presumido
  • Lucro real
  • Simples nacional

Quando um empreendedor faz à abertura da sua empresa a primeira decisão que tem que tomar é a escolha do regime tributário.

Essa escolha é feita anualmente, e só pode ser alterado após um ano de vigência.

Por isso ela demanda muita atenção e análise, ela pode determinar os ganhos e gastos da sua empresa nesse sentido.

E essa escolha tem muito haver com redução de custo e resultado operacional, é muito importante ter atenção ao fazer a escolha do seu regime tributário.

É fácil perceber que as empresas micro e pequenas, geralmente tem optado pelo regime do Simples Nacional.

Mas uma coisa muito importante na questão de redução tributária é que dentro do regime do Simples nacional nós temos dois tipos de operações possíveis para redução tributária.

Primeira

Uma delas é a questão da substituição tributária. Acontece quando o produto tem obrigação de retenção de imposto no momento da compra da matéria prima, o governo obriga quem vende esse produto, essa matéria prima, recolha o imposto na fonte.

Desse modo o imposto já esta pago, e no momento da venda tem que informar ao governo que o produto processado já teve seu imposto pago, e ele será abatido no momento da venda.

Assim evitará pagar imposto em duplicidade.

Segundo

Outro fator que pode reduzir impostos é o PIS e COFINS, temos dentro do próprio Simples Nacional uma redução tributaria que chamamos de tributação monofásica.

Nesse ponto você consegue também fazer uma redução tributaria no simples nacional com o PIS e CONFINS.

Essas duas dicas podem gerar uma lucratividade para você de imediato e aumentar o seu lucro com a diminuição de imposto que você paga para o governo.

Muitas empresas no ramo alimentício, principalmente pequenos restaurantes que não sabem desse aproveitamento tributário, acabam todos os meses pagando para o governo um pouco mais de imposto.

Com foco nessa questão de redução na sua operação existem conteúdos disponíveis com especialistas em gestão operacional de restaurantes.

Procure o seu contador, ele pode explicar como economizar no seu processo e como pode otimizar o seu processo operacional com duas frentes.

Primeiro adequar toda a sua operação as normas que são exigidas pela vigilância sanitária e também iniciar um processo de redução de custos aumentando sem a sua lucratividade.

Com certeza começara a operar de uma forma muito mais produtiva e diferente tendo um melhor lucro.

Não pague mais impostos que não são devidos, procure o seu contador e se informe sobre essa possível redução.

 

Alvarás de funcionamento para restaurantes.

Ao começar um negócio podem surgir inúmeras dúvidas na cabeça do empreendedor, e se esse negócio pertence ao ramo alimentício essas dúvidas podem ser ainda maiores.

Uma das mais recorrentes é em relação à obtenção do Alvará e licença de funcionamento.

O que é esse Alvará?

O Alvará de funcionamento é obrigatório para toda e qualquer atividade comercial que ocupe uma edificação com área total ou menor a 150m².

Ele deve ser solicitado pelo contador credenciado ou menos pelo empreendedor, cada prefeitura tem suas especificações.

No caso de São Paulo, por exemplo, as efetividades desenvolvidas em área de 150m² até 1500m², sejam elas em restaurantes ou não, é necessário que um responsável técnico ateste se o edifício está em condições de funcionamento ou não.

Essas condições incluem higiene, salubridade, segurança, acessibilidade e outras ainda determinadas por meio de legislação municipal.

O CREA-SP também tem participação nesse alvará, um responsável técnico deles deve fazer a aprovação do pedido de Auto de Licença de Funcionamento Condicionado, só é dispensado esse procedimento caso a área a ser utilizada integre um condomínio, ou seja, destinada a consultório ou escritório.

Quais os documentos que são exigidos e qual o processo para solicitar?

O Alvará de funcionamento tem a possibilidade de ser solicitado pelo site da Prefeitura de São Paulo, para isso o solicitante tem que apresentar informações e possuir uma senha individual que dará acesso às áreas restritas.

  • O que é preciso informar no site?
  • O RG do responsável pela atividade;
  • O número do certificado de conclusão do imóvel, ou habite-se, caso sejam unidades localizadas em condomínios;
  • O CCM (Cadastro do Contribuinte Mobiliário), que deve ser obtido junto à Secretaria das Finanças, nele está registrado os dados dos contribuintes de tributos mobiliários de São Paulo;
  • O SQL (Setor, Quadra e Lote) do imóvel que é objeto da solicitação do alvará de funcionamento, número que consta no carnê do IPTU;
  • Informação sobre a atividade que será desenvolvida, incluindo a área destinada aos clientes e consumidores, onde o acesso é livre ao público;

O alvará é obrigatório para todas as atividades?

O Alvará não é obrigatório para todas as atividades, algumas delas são dispensadas, assim como:

  • Quem executa atividades intelectuais, e não recebe clientes e não tenha funcionários, em qualquer unidade habitacional situação em zonas exclusivamente residenciais;
  • Quem tenha uma atividade profissional com um funcionário, instalado em unidades habitacionais em zona de qualquer uso, exceto nas zonas exclusivamente residenciais, devendo se observar que a atividade não incomode os moradores;
  • Atividades exercidas por empresas devidamente cadastradas como MEI (Microempreendedor Individual). Isso é possível desde que os padrões sejam atendidos e não haja incômodo à vizinhança e que tudo esteja dentro das normas exigidas relacionadas à higiene, salubridade e segurança.

Utilizando o portal eletrônico da Prefeitura de São Paulo é possível licenciar todas as empresas com atividades compatíveis à vizinhança e também que não provoquem nenhum tipo de incômodo ou perturbação.

E que esteja dentro dos parâmetros que a legislação determina, como no caso de imóveis regulares com área de até 1500m².

Existem  quatro situações específicas de alvará de funcionamento e as atividades da empresa determinam o tipo de licença que será necessária.

  1. Alvará de Autorização para Eventos Públicos e Temporários, para todos os locais com eventos públicos e temporários para mais de 250 pessoas, seja em imóveis públicos ou privados.
  2. Alvará de Funcionamento de Local de Reunião (ALF), ele deve ser solicitado para todos os locais que possuam reunião de público, ou seja, restaurantes, cinemas, bares e similares, com capacidade de lotação igual ou superior a 250 pessoas;
  3. Auto de Licença de Funcionamento (ALF), que é o mais comum entre eles, vale para imóveis não residenciais, com instalação de atividades comerciais, industriais ou de serviços;
  4. Auto de Licença de Funcionamento Condicionado (ALF-C), que pode ser solicitada em caso de edificações ainda irregular ou inscrita no Cadastro Informativo Municipal. Válido para imóveis com área total construída entre 1500 m2 e 5000 m2;

No geral a maioria das empresas precisa de um alvará de funcionamento, mesmo que em algumas situações ele se mostra desnecessário.

Você é empreendedor e tem uma empresa instalada?

Procure hoje mesmo o profissional contábil responsável pela sua empresa e solicite a verificação junto a Prefeitura Municipal da sua cidade, para que tenha certeza de que a sua empresa está dentro das exigências solicitadas, ou mesmo se é passível de dispensa.

A ausência desse documento pode trazer diversos transtornos como multa para a empresa, e em caso de reincidência pode até mesmo autorizar o encerramento das atividades pelas autoridades que fazem fiscalização.

Garanta junto ao seu profissional contábil que a sua empresa está de acordo com as exigências necessárias para um pleno funcionamento.