Como começar uma Distribuidora de peças automotivas

A distribuidora de peças automotivas é uma ótima oportunidade para os que desejam empreender.

Fizemos este artigo para te mostrar como uma distribuidora de peças automotivas funciona e listar as principais características e as vantagens de empreender nesse segmento.

Se você optar por investir em uma distribuidora de peças automotiva saiba que, para ter sucesso é preciso muita dedicação, estudo de mercado e noções em vendas.

Se planeja abrir uma distribuidora, é importante entender que será necessário o conhecimento dos fundamentos básicos e pilares de abertura de empresa.

Caso você queira entender mais sobre como abrir uma empresa, acesse o link: “COMO ABRIR UMA EMPRESA

Vamos lá.

Quais são as principais características de uma distribuidora de peças automotivas?

Uma das principais características de uma distribuidora de peças automotiva é a quantidade de produtos adquiridos com o fabricante ou através da importação, ou seja, quase sempre é em grande escala e com uma boa variação de produtos.

Normalmente o mercado de consumo se dá por 4 elementos principais que, são: fabricante, distribuidor, comerciante e consumidor final.

Desta maneira podemos entender que a distribuidora compra em grande escala os produtos e faz a comercialização para os clientes (lojas de autopeças, mecânicos, entre outros), uma vez que não conseguem comprar diretamente com o fabricante, devido a necessidade das compras serem feitas em grandes quantidades.

Devido a distribuidora ter poder de compra ela consegue negociar os produtos muitas vezes com valores mais baixos, assim no momento de repassar esses mesmos produtos para sua carteira de cliente, ela coloca uma porcentagem acima do valor comprado para vender, ou seja, a margem de lucro.

Um empresário que atua como distribuidor de peças automotiva precisa ter um olhar estratégico e saber analisar riscos e lucratividade, além de muito conhecimento.

Plano de negócio para distribuidora de peças automotiva

Como elaborar plano de negócio para distribuidora de peças automotivas

Um plano de negócio pode te ajudar a trilhar os caminhos de maneira mais certeira, fazendo com que você crie estratégias para imprevistos que possam acontecer no meio do caminho, além de te ajudar a mapear os objetivos que você deseja alcançar a médio e longo prazo, te ajudando a detectar as particularidades do mercado de distribuição de peças automotivas.

Para a estruturação de um bom plano de negócio, é importante além da missão, visão e valores a definição dos objetivos ao funcionamento da distribuidora de automotivos.

Alguns passos para um bom plano de negócio para distribuidora de peças automotivas são:

  • Valor que será investido na distribuidora;

  • Localização da distribuidora de peças automotivas;

  • Número de colaboradores;

  • Quais produtos serão vendidos;

  • Custos tributários e operacionais;

  • Estimativa de vendas;

  • Gestão completa da distribuidora de peças automotivas;

  • Tipo jurídico da distribuidora de peças automotivas;

  • Enquadramento tributário;

  • Estudo de público-alvo;

  • Análise de concorrentes;

  • Entre outros.

Se você deseja saber mais sobre como estruturar um bom plano de negócio, te indicamos este artigo do SEBRAE: [LER ARTIGO]

Gestão para distribuidora de peças automotivas

 

A gestão é parte fundamental para que sua distribuidora de peças automotivas tenha sucesso, isso porque é através de uma gestão de qualidade que você consegue controlar tudo que acontece na sua distribuidora.

Hoje existem diversos sistemas de gestão para distribuidoras que te ajudarão manter sua distribuidora muito mais organizada, além de cuidar da parte financeira, vendas, controle de estoque, entradas e saídas e muito mais.

Quando você opta por um sistema de gestão para distribuidoras você otimiza processos, aumenta a produtividade, organização impecável do estoque e consequentemente maior lucratividade.

Conhecendo os pilares de uma distribuidora de peças automotivas

Se você é dono ou gestor de uma distribuidora de peças automotivas sabe a importância que cada setor tem e para gerir de maneira correta e adequada é importante conhecer um pouco de cada um, não precisa ser um expert, mas é preciso conhecimento básico de todas as áreas.

São elas:

  • Setor de compras e aquisição de produtos;

  • Setor operacional;

  • Financeiro;

  • Gestão de pessoas;

  • Logística;

  • Vendas direta;

  • Marketing e relacionamento com o cliente;

  • Customer Success;

  • Entre outros.

Como começar uma distribuidora de peças automotivas

Como montar uma distribuidora de peças automotivas

Se você chegou até aqui e ficou interessado em saber como começar a sua distribuidora de peças automotivas, então continue com a gente que agora iremos abordar mais sobre este assunto e te dar um panorama de tudo que você irá precisar para montar a sua distribuidora.

Investimento inicial

Para iniciar qualquer empreendimento é importante ter em mente o quanto se pretende investir inicialmente.

E quando se trata de uma distribuidora de peças automotivas temos que entender que as compras acontecem em grande escala e saber negociar melhores preços com os fabricantes é fundamental.

É preciso ser bom de cálculo, uma vez que você precisará comprar em grande escala para ganhar um desconto vantajoso e calcular uma margem de lucro no momento de comercializar os produtos.

Localização da sua distribuidora de peças automotivas

Não existe uma regra ideal de local, porém, é importante pensar de maneira estratégica no momento de escolher onde irá montar sua distribuidora.

De modo geral, as distribuidoras de grande porte, costumam se instalar em locais mais afastados, devido a carga e descarga com veículos pesados.

 

Estrutura da sua distribuidora de peças automotivas

O mais importante neste tópico é a organização, isso é indiferente se sua distribuidora será de pequeno, médio ou grande porte.

De forma resumida a estrutura da sua distribuidora deverá ter:

  • Estoque;

  • Carga e descarga de produtos;

  • Canais de atendimento.

Uma estrutura básica de distribuidora de peças automotivas conta com os três itens acima.

Qual a importância de ter processos organizados?

Qual a importancia de ter processos organizados

Em um mercado altamente competitivo, ter processos organizados significa um grande diferencial para sua distribuidora de peças automotivas.

É possível integrar sua equipe, criando um ambiente cooperativo e produtivo, interligado e alinhado.

Os benefícios da organização dos processos operacionais para sua distribuidora de peças automotivas, são:

  • Focar no que realmente importa para distribuidora;

  • Implantação de uma estratégia pensada para sua distribuidora;

  • Maior praticidade e agilidade nas atividades cotidianas da sua distribuidora;

  • Otimização da gestão de processos;

  • Operacionalizar a aplicação de abordagens inovadoras;

  • Identificar oportunidades ou problemas ainda que no início;

  • Encontrar soluções para sua distribuidora.

Além de:

  • Utilizar de forma adequada os recursos disponíveis;

  • Aperfeiçoamento contínuo de processos;

  • Aumento da produtividade da sua distribuidora de peças automotivas;

  • Oportunidade de novos investimentos;

  • Redução de custos;

  • Elimina retrabalhos e tarefas desnecessárias;

  • Melhora o atendimento da sua distribuidora de peças automotivas;

  • Agrega valor aumentando a satisfação dos compradores da sua distribuidora.

Invista em capacitação

Quando pensamos em montar uma distribuidora de peças automotivas focamos apenas nos lucros e em como colocar o negócio em prática.

Porém, para obter o máximo de resultados e benefícios é interessante investir em capacitação para você e sua equipe.

O aprendizado contínuo tanto dos produtos oferecidos como técnicas de vendas é essencial para aprimorar o atendimento e melhorar a experiência dos compradores da sua distribuidora de peças automotivas.

Porque minha distribuidora de peças automotivas precisa de uma contabilidade especializada?

Para uma estratégia bem fundamentada a contabilidade especializada para distribuidora de peças automotivas se torna indispensável.

Ao contrário do que muitos empresários pensam uma contabilidade especializada não será capaz de te ajudar apenas nas entregas de obrigações, ela pode ir além, quando falamos em assessoria contábil estamos falando diretamente da saúde da sua distribuidora.

Te ajuda também analisando os demonstrativos contábeis, sendo possível realizar uma orientação sobre investimentos, melhor regime tributário, qual o tipo jurídico mais indicado para você, planejamento tributário e muito mais.

É possível saber o quanto a empresa lucrou ou deixou de lucrar e, a partir desses dados, fazer uma previsão mais concreta e precisa de quanto a empresa poderá crescer.

Nós da Brasct contabilidade especializada já ajudamos diversas empresas no planejamento estratégico e na redução dos seus impostos.

Se você precisa de uma assessoria especializada contábil entre em contato agora mesmo e fale com um de nossos consultores.

Como economizar na contratação de funcionários?

Nos dias atuais a contratação de funcionários é um processo que demanda uma estratégia muito bem elaborada.

Isso porque em outro momento as empresas realizavam a divulgação de suas vagas em anúncios nos jornais e apenas aguardavam os melhores candidatos surgir, porém, hoje isso não acontece mais. E é por esse motivo que a contratação de um funcionário deve ser realizada de forma estratégica.

Criamos este artigo “Como economizar na contratação de funcionários?” para te ajudar a criar as melhores estratégias no momento de contratar e selecionar um novo colaborador para sua organização.

Vamos lá!

Cultura Organizacional da empresa

como definir a cultura organizacional

Quando falamos em contratação e seleção não podemos deixar de citar a cultura organizacional.

Você sabe o que é a cultura organizacional e qual o impacto dela na sua empresa e como ela influencia no momento da contratação e seleção de novos colaboradores?

Bom, nos dias atuais já é de conhecimento de todos que quando uma pessoa é convidada a participar de um processo seletivo ou quando busca uma vaga em uma determinada organização, ela faz uma pesquisa sobre a empresa, com o intuito de conhecer seus processos, isso acontece na grande maioria dos casos.

E o clima organizacional é um dos itens com maior avaliação, afinal, ninguém quer trabalhar em uma empresa com um clima organizacional ruim, não é mesmo?

A cultura organizacional nada mais é que um recurso estratégico muito utilizado como diferencial competitivo pelos candidatos, desta maneira, é importante entender qual o posicionamento da organização e como ela se difere das demais empresas.

Isso significa que quando falamos em cultura organizacional estamos nos referindo em como ela trata seus funcionários, clientes e o próprio negócio em que atua.

Também vale ressaltar que um salário atraente é importante, mas, não é apenas isso que irá atrair talentos e mantê-los na sua empresa.

Uma cultura organizacional positiva ajuda e muita no momento de atrair talentos, quando a empresa tem uma cultura que atrai as pessoas, consequentemente, ela já têm uma redução de custos.

Isso porque, em um ambiente de trabalho alinhado com os seus valores pessoais, se torna um ambiente muito mais propício a uma alta produtividade e se manter motivado.

Para melhor entendimento todas as empresas precisam optar pela cultura organizacional positiva, pois ela diz respeito às crenças, hábitos, valores e comportamentos que são compartilhados no ambiente de trabalho, desta maneira, definindo como uma empresa lida com seus negócios.

Quando uma empresa aposta na cultura organizacional ela não ganha apenas redução de custos no momento da contratação e seleção, mas ela é capaz de se destacar entre as demais empresas do mesmo segmento, passando a ser valorizada por colaboradores e clientes.

Então fique atento e não deixe de realizar as pesquisas de clima organizacional, pois ela ajuda a diminuir os índices de turnover e, consequentemente, economiza tempo e recursos gastos com recrutamento e seleção.

Rede de contatos como forma de economizar

Quando um gestor utiliza como estratégia uma rede de contatos para a contratação e seleção de novos funcionários a empresa só tem a ganhar.

Isso porque utilizando o famoso networking as chances de receber indicações são muito maiores e você economiza, uma vez que não precisará gastar dinheiro divulgando em sites especializados ou anúncios em jornais.

Porém, esse método requer atenção!

No momento da seleção é importante não tratar as indicações com privilégios. Todos os candidatos, sejam indicados, ou não devem receber um tratamento justo e passar pelas mesmas etapas do processo seletivo.

Consultoria ou plataformas de contratação?

Consultoria de Recursos Humanos

Este é um dos temas que deixam os empresários muito confusos e indecisos em qual das opções é a mais eficaz.

Porém, isso depende muito do que você quer e os objetivos que tem em mente.

De todo modo, é importante entender que se a contratação deve ser feita de maneira estratégica e com redução de gastos.

Mesmo que você deseje economizar no processo de contratação de novos funcionários é importante ficar claro que esse processo não pode jamais ser feito por amadores ou pessoas sem experiência, isso porque, uma contratação errada ou equivocada poderá causar muito mais impactos financeiros do que a própria contratação em si.

Consultoria de RH

Se você deseja a ajuda de um profissional especializado para realizar o seu processo de contratação a consultoria de RH tem benefícios interessantes, além de contar com ferramentas eficazes, como as entrevistas por competência e os processos customizados a cada vaga em aberto.

Porém, vale destacar que se optar por uma consultoria de RH o processo acaba tendo um valor um pouco mais elevado.

Plataformas de contratação

Hoje existem muitas empresas que prestam serviços disponibilizando aos seus usuários plataformas de contratação, que utilizam de forma aliada a gestão de pessoas com as mais avançadas tecnologias para auxiliar as empresas que precisam contratar de forma mais assertiva.

Essas plataformas nada mais são softwares que otimizam o processo de contratação e realizam a triagem de maneira prática.

Economize apostando em dinâmicas em grupo

Quando se trata em dinâmicas de grupo é interessante que seja feita de forma planejada.

A dinâmica em grupo possibilita entender como cada candidato trata e interage com outras pessoas, como é a sua comunicação, como ele lida com dificuldades e possíveis tensões e como ele interpreta as instruções.

Sendo muito mais fácil dispensar os candidatos que não são compatíveis com a vaga e focar nos que são compatíveis.

Essa é uma maneira de economizar tempo e de certo modo economizar.

Conclusão

Neste artigo vimos maneiras de economizar usando recursos que muitas vezes já temos disponíveis no dia-a-dia, como no caso do clima organizacional e rede de contatos.

Mas, vale lembrar como citamos acima que o processo de contratação de novos funcionários deve ser feito de forma estratégica e com cautela, com auxílio de profissionais capacitados, só assim será possível garantir que a contratação será assertiva e não causará impactos indesejados, já que, um processo de contratação indevido poderá ser muito mais custoso do que a contratação por si só.

Nós da Brasct estamos constantemente compartilhando conteúdos ricos em informações para ajudar você e outros empreendedores a trilhar sempre o melhor caminho.

Cadastre-se abaixo para receber novidades diretamente no seu e-mail!



 

Quais impostos são devidos na importação de produtos para revenda?

Se você chegou até aqui é um sinal de que você também está pensando na possibilidade de importar produtos de forma correta, certo? E não é pra menos, no Brasil a incidência de impostos sobre produtos industrializados além de ser muito elevado também tem um alto custo com maquinários e mão de obra, o que dificulta um pouco mais em todo o processo.

Neste artigo vamos falar sobre quais são os impostos devidos no momento da importação de produtos para revenda e até mesmo para concluir algum processo industrial e posteriormente a venda final para comercialização.

Quais são os impostos?

Os impostos devidos para na importação de produtos não são tão diferentes quantos os produtos industrializados por 2 motivos, se fosse incidido menos impostos tornaria o mercado interno inviável para produção, e por outro lado se houvesse incidência de muitos impostos teria o mesmo efeito o que limitaria muito o comércio de importação e exportação.

O principal imposto devido na importação é o II (imposto sobre importação), mais algumas taxas como é o caso da AFRMM, CIDEs e SISCOMEX, todos os demais impostos são iguais aos já devido em território nacional.

Os impostos são:

  • II (impostos sobre importação) – Federal
  • IPI (imposto sobre produto industrializado) – Federal
  • PIS (Programa de Integração Social) – Federal
  • COFINS (Contribuição para FIns Sociais) – Federal
  • IOF
  • ICMS (Imposto sobre circulação de mercadorias e serviços) – Estadual
  • AFRMM (Adicional de frete para renovação da marinha mercante)
  • CIDEs
  • SISCOMEX

Antes de explicarmos o que são cada um desses impostos vamos já explicar uma diferença entre importação para comercialização e importação para industrialização.

Em ambos os casos é devido o IPI (impostos sobre produto industrializado), esse imposto deve ser pago já no desembaraço aduaneiro, ou seja no porto antes de retirar a mercadoria.

Agora a grande diferença, o IPI pago na importação para comercialização é pago uma única vez, como mencionado acima antes de retirar a mercadoria no porto, já no caso das indústrias que estão importando produtos ou matérias primas, ocorre uma bitributação de IPI, uma no mesmo caso da importação para comercialização e depois é devido também na revenda depois desse produto passar por novos processos de industrialização já em território nacional.

Um exemplo, se uma empresa adquirir produtos e simplesmente trocar a embalagem ou adicionar um parafuso que seja na matéria original já é tido como processo de industrialização e passa a ser devido novamente o IPI.

Só é tido como importação para comercialização quando o produto não sofre alterações na sua composição original, essas situações são esclarecidas no momento do desembaraço aduaneiro.

O que são cada um desses impostos?

quais são os impostos a pagar na importação e o que são cada um deles

II – Imposto sobre Importação, é um impostos federal devido em todos os produtos de importação para industrialização ou comércio, só não é devido esse impostos em caso da mercadoria sofrer avarias e não ter mais aplicação para nenhuma das atividades, neste caso o produto é destruído no local.

IPI – Imposto sobre produto industrializado: Conforme explicado acima é devido uma única vez quando for para comercialização e bitributado quando sofrer novo processo industrial.

PIS – Programa de Integração Social – Imposto Federal: é através desse arrecadamento que é pago anualmente o PIS para trabalhadores que recebem menos de 2 salários mínimo.

COFINS – Contribuição para FIns Sociais – Federal – É destinado a arrecadar fundos para seguridade social (saúde pública, previdência social e assistência social)

ICMS – (Imposto sobre circulação de mercadorias e serviços) – Estadual – É distribuído entre os estados e municípios para ser aplicado em políticas públicas sociais, saúde, educação e segurança pública.

Taxas pagas na importação de mercadorias:

AFRMM – (Adicional de frete para renovação da marinha mercante) – Essa taxa muitas vezes não prevista pelo importador é uma contribuição para marinha mercante e indústria de construção e reparação naval.

SISCOMEX – Taxa paga para custear a operação e os investimentos do Sistema Integrado de Comércio Exterior

Quais são os riscos em não pagar os impostos devidamente na importação de produtos?

Pagar os impostos sobre produtos de importação não chega a ser uma opção na verdade, a não ser que você não queira retirar a sua mercadoria.

Você na posição de importador ou já deve ter pago pela mercadoria ou ter firmado contrato de compra com o seu fornecedor para pagamento posterior, então a mercadoria paga ou não só será liberada após o pagamento dos impostos devidos.

Os impostos que ficarão pendentes de pagar serão os mesmos devidos por qualquer outro comércio, ficando a sua empresa sujeita às mesmas regras de fiscalização e multas para o caso de sonegação ou omissão tributária.

Então é muito importante que você faça um planejamento adequado e veja se realmente vale a pena importar mercadorias, muitas vezes quando acrescido de todos os impostos e taxas pode se tornar muito mais viável comprar dentro do Brasil.

O que preciso para começar a importar?

Como já abordamos no artigo “Formas de importar mercadoria para revenda” você precisa de muito planejamento, conhecimento e fornecedores, mas o principal de tudo é estar devidamente protegido com a sua empresa constituída e ter uma assessoria contábil que realmente entenda de todo o processo para te orientar da melhor maneira.

Lembre-se sempre que importar mercadorias para revenda além de incidir impostos na chegada ao Brasil, incidem impostos também sobre as vendas e para o caso de pessoas físicas o alto risco em ter imposto devido na declaração do IRPF, o que inviabiliza todo o processo como pessoa física.

Como se proteger de impostos elevados?

assessoria especializada Brasct

Para se proteger mesmo que você já possua empresa constituída vale sempre a pena analisar se existe alguma possibilidade de redução tributária, muitas vezes você não pensa em trocar de contabilidade, mas contratar uma análise tributária pode trazer grandes possibilidades para o seu negócio, além da redução tributária também possibilita em alguns casos a recuperação de impostos pagos indevidamente.

Cadastre-se abaixo e faça parte do grupo de empreendedores que recebem frequentemente atualizações e novidades para melhorar os resultados de suas empresas.



Formas de como importar mercadorias para revenda

A forma correta e segura para distribuidores e revendedores

Importar mercadorias hoje em dia ainda está sendo algo trabalhoso quando você pensa em utilizar essa atividade para empreender, porém, apesar de ser trabalhoso ainda sim é vantajoso para que o empreendedor tenha uma margem de lucro um pouco maior ou se tornar mais competitivo no mercado.

O que é preciso para importar mercadorias?

O primeiro passo e até o mais importante na hora de você importar mercadorias para sua loja ou distribuidora é a formalização adequada da sua empresa.

É muito frequente empresas que não estão devidamente enquadradas terem problemas com importação de produtos, isso porque alguns empresários acreditam que apenas ter o CNAE de comércio é suficiente para importar mercadorias, mas, engana-se quem acredita que seja tão simples assim.

Para você importar mercadorias é crucial que a atividade de importação também tenha sido registrada para sua empresa e, você não pode ter pendências com o fisco, então antes de importar certifique-se que a sua empresa está em dia com as obrigações e que a sua empresa está devidamente enquadrada.

Registro no SISCOMEX

O SISCOMEX – Sistema Integrado de Comércio Exterior é o meio eletrônico onde todo empreendedor que irá atuar com importação e exportação precisa ser registrado ou habilitado.

Esse sistema auxilia o fisco a acompanhar diversos processos da importação, além de facilitar a comunicação entre os demais órgãos governamentais que, em alguns casos precisam anuir para que você possa importar, ministério da saúde e exército são alguns exemplos.

Existem 3 fases da importação

  1. Administrativo: Quando você cuida da burocracia, pedidos de autorização para importar a mercadoria.
  2. Fiscal: Quando é realizada a liberação dos produtos na alfândega e recolhido os impostos sobre o produto.
  3. Cambial: Quando você envia o pagamento para o exportador, ou seja, quando você paga pela mercadoria.

Controle os custos

Diversas pessoas acreditam que somente pelo fato de importar já se torna muito vantajoso financeiramente, mas nem sempre é assim.

Existem diversos produtos que podem ser até mais caros na hora de calcular todos os custos e outros produtos que não podem ser importados em hipótese alguma, como pneus, produtos químicos por exemplo.

Você deve planilhar todos os custos e comparar com a compra no mercado nacional é extremamente importante, assim você terá uma visão do que vale a pena e o que não vale a pena, nessa planilha você precisa colocar todos os pontos como:

  • Frete Internacional
  • Seguro de Transporte Internacional
  • Imposto de Importação
  • Imposto sobre Produtos Industrializados
  • PIS/Pasep
  • COFINS
  • Despesas Bancárias
  • Taxas Portuárias
  • Taxas de Armazenagem
  • ICMS
  • Despachante Aduaneiro (se houver)
  • Frete Interno
  • Margem de lucro

Dessa forma você terá uma visão límpida do seu negócio e será muito mais fácil decidir se ainda sim compensa importar essa mercadoria.

Fornecedores, como escolher?

A escolha dos fornecedores também é um processo tão importante quanto os demais, quando você decidi fazer negócios com empresas estrangeiras é importante que você tenha toda cautela e procure sempre trabalhar com empresas devidamente certificadas em questões de segurança e maquinários.

Além do mais, você precisa se certificar que esse fornecedor terá condições de suprir suas necessidades no caso de reposição de mercadorias quando necessário.

Incoterms fique atento.

Você precisa ficar atento e sempre solicitar que o seu fornecedor no exterior envie um documento discriminando as práticas entre ele (exportador) e a sua empresa (importador).

Dentre as práticas devem ser discriminados, preços de vendas, formas de pagamento, prazos de entrega e quaisquer outros aspectos que vocês possam ter negociado, dessa forma você estará precavido caso a Secretária do Comércio Exterior – Secex solicite alguma documentação.

Produtos em alta para importação

Existe uma gama de produtos que podem ser importados e que têm uma grande busca no mercado, separamos alguns produtos para você tenha ideia do que importar.

  1. Roupas de marca
  2. Maquiagem e Perfumes
  3. Acessórios femininos
  4. Eletrônicos
  5. Peças automotivas
  6. Games
  7. Decoração

Além desses produtos existem diversos outros que são muito rentáveis com boa demanda, caso você esteja começando vale pensar em testar produtos por nicho ao contrário de querer comprar de tudo um pouco e no final das contas ficar com muito estoque parado

Curso como importar mercadorias

Existe uma infinidade de produtores digitais hoje ensinando como importar mercadorias, além das diversas estratégias você também irá perceber uma grande diferença de custo de investimento, então se você realmente quer importar de forma correta vale pensar em participar de um desses cursos antes de iniciar por conta própria.

Alternativa para trabalhar com mercadorias importadas

Como alternativa você também pode pensar em empreender com dropshipping, uma técnica de vendas sem estoque físico, essa técnica muito comum em diversos países está começando a pegar forma também no Brasil e já existem pessoas que vivem somente disso.

Saiba mais sobre dropshipping nestes artigos:

Dropshipping, o que é e como funciona?

Dropshipping, como iniciar nesse mercado?

Solicite abaixo nossa proposta, proteja sua empresa com uma assessoria especializada no seu negócio.

 

WhatsApp contabilidade em são paulo